Como Pode?

Icon

Você já se fez essa pergunta hoje?

Pau de Selfie

Pau de Selfie

Visite também Pau de Selfie

IMG_7278.JPG

Os perigos ao se utilizar os caixas-eletrônicos dos bancos

Se você usa caixas-eletrônicos, e muito provavelmente usa (ou deveria usar), muito cuidado. Caso você não conheça tudo sobre os caixas-eletrônicos, você está correndo riscos desnecessários.

Os caixas-eletrônicos são a forma mais inteligente de se utilizar a rede bancária para movimentar seu dinheiro. Hoje em dia, é perda de tempo entrar em agências bancárias para pagar contas, pegando filas intermináveis, por exemplo. Ninguém precisa ficar se aborrecendo com atendentes mal preparados, gerentes metidos a besta. Quase tudo pode ser feito pelos caixas-eletrônicos. E o que você não conseguir fazer, você pode fazer pela Internet. Simples assim.

Ao se utilizar um caixa-eletrônico, no entanto, é preciso tomar muito cuidado. Existem vários tipos de golpes que podem ser aplicados nos caixas-eletrônicos, por diversos tipos de golpistas. Por mais cuidadoso que o cliente seja, sempre haverá um golpe novo sendo planejado. Portanto, é fundamental estar sempre atento.

Vamos citar aqui alguns dos golpes mais comuns. Se você utiliza o caixa-eletrônico com frequência, leia com atenção. E não leia apenas. Pare, reflita, imagine cenários que podem se assemelhar aos golpes que vamos citar.

Um dos golpes mais clássicos é o da retenção do cartão na leitora de cartões. Muitos golpistas, com a tecnologia dos dias de hoje, conseguem utilizar um simples cartão de um cliente para fazer muitas coisas. Um exemplo é a compra com cartão de crédito. Por exemplo, você já deve ter visto por aí pessoas vendendo assinaturas de revistas, pedindo “apenas” o número do seu cartão. Isso porque é possível autorizar débitos agendados no cartão, sem necessidade de senha.

Para reter um cartão, o golpista utiliza-se de artifícios para que, ao tentar retirar o cartão da leitora, o cliente não consiga fazê-lo. Seja com fitas adesivas, arames, cola, travas… o cliente não consegue retirar o cartão. A própria leitora de cartões pode prender o cartão de tal forma que, somente ligando e desligando o caixa-eletrônico é possível retirá-lo. Ou então, somente o golpista consiga tirar.

Uma variante desse golpe é a troca do cartão. O golpista, estando próximo do cliente apavorado com o cartão preso, se oferece para ajudá-lo. Nesse momento, o golpista já estava de olho no cliente há muito tempo. Ele já deve ter espiado a senha, e só estava torcendo para que o cartão ficasse preso. Ao se oferecer para tirá-lo da leitora, o golpista faz a troca. Com o cartão e a senha em mãos, o estrago já está feito.

A abordagem dos golpistas é frequente. Uma outra forma de abordagem, mais sofisticada, tem o seguinte fluxo: o cliente faz todas as suas transações no caixa, e na hora de ir embora, ele é abordado pelo golpista. Este, inventando qualquer história, fala que a tela do caixa eletrônico do cliente ficou aberta, ou que o cliente não encerrou a sessão corretamente. O cliente, ressabiado, volta ao caixa, e se depara com uma tela aberta, de fato… e prontamente tenta fechar sua sessão.

Nesse instante, o cliente, para tentar reverter a situação, usa seu cartão novamente. E com a ajuda do golpista, que maliciosamente explica um caminho qualquer, seu cartão é trocado rapidamente. Conversa vai, conversa vem, e sem que o cliente perceba, o cartão é entregue a um outro golpista que está ao lado! E o primeiro golpista continua encenando a tentativa de sair da sessão, dessa vez pedindo ajuda do próprio cliente.

É bom notar que, nesse tipo de golpe, o cliente não percebe nada. Ao tentar sair da sessão, ele digita sua senha, e nada funciona. Isso porque ele está com o cartão trocado. E o golpista, no caixa ao lado, só espera o momento exato para espiar a senha… e simultaneamente, fazer o mesmo no outro caixa. Mas dessa vez, ele já estará sacando, ou fazendo algo malicioso.

Ao perceber que algo está errado, dificilmente o cliente percebe que seu cartão foi trocado. Nisso, a tela já deve ter voltado ao normal, o outro golpista já foi embora, e o golpista principal só tem que torcer para que o cliente não perceba o cartão trocado. Golpe certo.

Uma outra forma de golpe muito comum é a troca de envelopes de depósitos. O cliente, por vezes com dificuldades para fazer um depósito, pode pedir ajuda para um estranho. Se o estranho for um golpista, facilmente o envelope é trocado por outro. Uma das principais artimanhas do golpista é jogar algo no chão, de propósito, para desviar o olhar do cliente. Ou então, olhar para algum lugar, como que tentando desviar o olhar do cliente. Se isso ocorre, o envelope é trocado, o golpista fica com o envelope com dinheiro, e um envelope vazio é depositado.

Golpes com envelopes, normalmente, acontecem de outra forma. O cliente tenta fazer um depósito, mas por algum motivo, o comprovante de depósito não sai. O cliente olha para a entrada do envelope, o envelope para ter entrado normalmente, mas nada do comprovante. Mesmo assim, o cliente vai embora… e dias depois, ele percebe que o dinheiro não fora depositado. Isso porque, de alguma forma, os golpistas conseguem impedir que o envelope chegue até o final do processo. Seja através da chamada “pescaria” de envelopes, onde uma linha, ou fita adesiva, impede que o envelope vá até o final… ou através de mecanismos que são instalados na entrada do caixa, que se parecem com a entrada do depositó do envelope, mas que na verdade desviam o envelope para o chão… entre outros. Nesses tipos de golpe, o golpista volta bem depois, horas depois, só para recolher a féria do dia. E o fazem quando não há ninguém na agência.

Repare que os golpistas são altamente inteligentes. São pessoas com as quais não é possível lidar, nem desconfiar, pois eles são treinados para isso. Vivem disso. Dificilmente um golpista se arrisca. Dificilmente um golpista é pego. A menos que exista uma intervenção da polícia, seja através por monitoramento, ou por denúncia, o golpista quase sempre é bem sucedido.

Existem ainda mecanismos mais sofisticados, onde frentes falsas da carenagem do caixa são instaladas por cima dos caixas originais, de forma a enganar os clientes mais desavisados. Nesses tipos de mecanismos, existem leitoras de cartões, que enviam os dados por celular, por exemplo. Senhas, banda magnética, dados digitados, tudo é enviado para o bandido, que só está esperando tais informações em algum lugar, para posteriormente, clonar cartões, fazer saques, empréstimos, etc.

Bom lembrar que as empresas de caixas-eletrônicos estão em constante guerra contra tais golpistas. A cada nova investida, novas funcionalidades são instaladas nos caixas, tentando justamente evitar a ação dos meliantes. Um dos exemplos mais interessantes no momento é a instalação de leitoras de digitais dos dedos ou da palma da mão. A biometria, como é chamada, tem algo grau de segurança e eficiência. Mas, por quanto tempo?

A ação de meliantes não é algo exclusivo do Brasil. No vídeo abaixo, temos a sofisticação ao extremo:

Resumidamente, temos que com câmeras vendidas no mercado (no caso, um iPhone 5 com uma câmera que detecta a temperatura) é possível traçar a senha digitada em teclados. Pelo calor dos dedos, é possível ver quais foram as teclas apertadas: teclas que aparecem mais “quentes”, foram as últimas. Teclas mais “frias”, foram as primeiras a serem apertadas. E a senha já era, nesses casos…!

Enem – pagamento não efetuado

Se você fez a inscrição para o ENEM 2013, e consultando pelo site do INEP, está estranhando a mensagem de “Inscrição não confirmada: Pagamento não efetuado.”, fique calmo.

Se você fez o pagamento corretamente dentro do prazo, deve aguardar o prazo de 3 dias úteis. É o tempo hábil de compensação bancária (no caso, Banco do Brasil).

Centenas de milhares de pessoas estão agoniadas com a não confirmação da inscrição. Se esse é o seu caso, calma.

Compartilhe essa informação no Facebook.

Clique em Curtir.

Faça a inscrição no Rippln. Se você não conhece o Rippln, deveria saber. Dê uma lida rápida no post abaixo e fique calmo.

http://www.comopode.com/?p=805

Como passar de fase no Candy Crush

Se você gosta de jogos online, já deve ter ouvido falar de um joguinho produzido pela King.com. É o Candy Crush.

Candy Crush

Candy Crush

Candy Cush é um jogo simples, e segue o mesmo padrão de jogos clássicos, como Tetris, Puyo Puyo, Bejeweled. O objetivo, via de regra, é combinar pedrinhas coloridas, e eliminá-las.

Candy Crush tem se tornado um jogo viral. Isso porque, para passar de certos níveis, é necessária a ajuda de amigos. E para que os amigos ajudem, eles devem estar jogando também. O intermédio entre esses jogadores é feito através do Facebook. E como o Facebook é o site do momento, milhares de pessoas estão jogando ao mesmo tempo, convidando e pedindo ajuda.

Candy Crush Amigos

Candy Crush Amigos

Quem está em dificuldades, pede “vidas” extras para continuar jogando também. Como as vidas acabam, e é necessário esperar 30 minutos até que uma nova vida apareça, é só pedir pra alguém (ou comprar, por US$ 0,99).

Candy Crush Facebook

Candy Crush Facebook

As pedrinhas coloridas, no caso, são docinhos (candy em inglês). Para que os docinhos sumam, deve-se juntar pelo menos 3 docinhos na vertical ou na horizontal. Isso torna o jogo muito dinâmico, e de certa forma previsível, pois os docinhos que estão vindo de cima irão formar determinados padrões previsíveis em suas novas posições. É o que se chama de “prever”, antever posições ou jogadas.

Evidentemente, Candy Crush é um jogo de sorte, pois nunca se sabe quais docinhos irão vir lá do alto. É por isso que, para “prever” jogadas, você deve trabalhar os docinhos mais de baixo. Isso permite algo em torno de 2 ou 3 jogadas previsíveis, o que irá te ajudar na parte de baixo. Se você estiver na parte do meio, você consegue prever 1 ou até duas jogadas. E no alto da tela, não há nada a se fazer. É pura sorte.

Apesar do fator sorte, é possível ter sucesso nas fases. Isso porque o objetivo do jogo não é apenas juntar docinhos. Existem vários objetivos diferentes ao longo das fases (mais de 100 fases). Por exemplo, você deve eliminar todas as gelatinas, que são como embalagens. O docinho deve entrar na gelatina, e formando algum tipo de sequência, docinho e gelatina explodem juntos.

Outro objetivo é juntar ingredientes, como a castanha e a cerejinha. Elas vêm lá do alto, e devem chegar até a parte de baixo.

Candy Crush Ingredientes

Candy Crush Ingredientes

Para passar de fase, existem os chamados docinhos especiais. Eles aparecem quando temos sequências de 4 ou mais docinhos. Por exemplo, com 4 docinhos da mesma cor, temos um docinho listrado. Com 5 docinhos, temos o docinho colorido (ou brigadeiro, ou chocolate, como algumas pessoas o chamam). Formando uma sequência em formato de “L”, com 5 docinhos também, temos o docinho bomba.

Docinhos

Docinhos

O docinho listrado tem o “poder” de acabar com todos os docinhos que estão na sua vertical ou na sua horizontal, independentemente das cores dos outros docinhos. Ele elimina 3 colunas ao mesmo tempo, tanto na vertical quanto na horizontal.

O doce bomba explode vários doces ao seu redor (9, se não me engano). E são duas explosões sucessivas.

O brigadeiro, ou docinho colorido, quando encosta em algum outro docinho, faz com que todos os docinhos da mesma cor explodam. Não é necessário que se faça uma sequência de 3 docinhos, nesse caso. O brigadeiro mais um docinho já são suficientes.

O interessante dos docinhos especiais são os chamados “combos”. Quando se juntam os docinhos especiais, coisas absurdas acontecem, e as pessoas se sentem realizadas. Por exemplo, um brigadeiro mais um doce listrado faz com todos os doces da cor do docinho listrado virem listrados também. E na sequência, eles eliminam, cada um, a sua vertical e sua horizontal.

Os combos são fundamentais para passar de algumas fases. Por exemplo, em determinadas fases, você luta contra o relógio. Deve-se fazer tantos pontos quantos possíveis. E são pontuações elevadas. Isso só é possível se você emendar várias sequências, ou combos.

Você joga Candy Crush? Está viciado? Pois saiba que é possível GANHAR DINHEIRO jogando Candy Crush. Acessando o site King.com, existem os chamados torneios. É uma forma diferente de se jogar. Lá, da mesma forma que os torneios de Poker, você deve ter uma certa quantia em dinheiro depositada para começar (não há o incentivo inicial, o “primeiro cigarro” grátis, como sites de Poker fazem).

Entender Candy Crush como forma de ganhar dinheiro requer disciplina e estratégia. Para isso, existem técnicas para se dar bem no Candy Crush. E você pode aplicá-las no Candy Crush do Facebook também.

Jogadores experientes recomendam que você busque, a todo custo, um doce especial logo no começo da fase. Preferencialmente, no meio da tela. Isso porque o combo irá fazer uma limpeza significativa na tela, permitindo que você se dedique depois às outras partes mais complicadas.

O melhor combo, na opinião dos jogadores experientes, é o brigadeiro com o doce listrado. Isso porque, estatisticamente, a quantidade de doces numa tela, cheia, deveria ser a mesma para todas as cores. Pensando dessa forma,um brigadeiro e um doce listrado limpam a tela de forma geral, pois os doces estão espalhados pela tela, e quando se transformam em doces listrados, fariam algo como uma tabuleiro de xadrez. Evidentemente, se você perceber que existem muitas doces da mesma cor do doce listrado na hora, essa é a hora ideal para chamar o combo. E não o contrário.

Existem centenas de estratégias, para cada uma das fases. Existem fases mais fáceis, e fases mais difíceis. Se você está emperrado em alguma fase, resolvemos ajudá-lo, postando aqui todos os vídeos de todas as fases. Perceba que é possível terminar o jogo. Então, não desista

http://gamesdreams.com/showthread.php?30305-Candy-Crush-Saga-Cheats-Walkthrough

http://www.bbgsite.com/socialgames/content/candy-crush-saga/guide/videos-for-all-levels.shtml

Você já foi convidado para o Rippln?

Se você gosta de redes sociais, como o Orkut, ou o Facebook, deve se lembrar que bem lá no começo, anos e anos atrás, só era possível fazer parte desses “clubes” através de um convite. Quem já era membro convidava pessoas próximas, de confiança. E quem entrava, convidava outras pessoas.

Pode-se dizer que tais redes seguem o esquema de pirâmide. Os criadores das redes, normalmente, estão no topo da pirâmide. E a cada nível que se vai descendo, mais pessoas ficam “subordinadas”, “vinculadas” às pessoas de cima. É igual aquela história dos “5 contatos” (não lembro bem se são só 5): todos estamos ligados por no máximo 5 conexões. Eu conheço fulano, que conhece ciclano, que conhece beltrano… que te conhece. Ou, eu conheço fulano, que conhece ciclano… que conhece o Papa.

Realmente, o poder de alcance das redes sociais é enorme. Mas até hoje, as redes sociais serviram pra isso só. Interligar pessoas.

E se fosse possível ganhar dinheiro com as redes sociais?

E se você ganhasse dinheiro de acordo com a quantidade de pessoas ligadas a você?

E se você estivesse no alto da pirâmide? E abaixo de você, 5 pessoas, que convidaram mais 5 x 5 = 25, que depois convidaram mais 5 x 25 = 125… e assim, sem parar, com milhares de pessoas?

E se você ganhasse R$ 1,00 por pessoa que você convidasse? E ganhasse R$ 0,50 por pessoa que seu convidado convidasse?

Repare que é importante estar no começo dessa pirâmide, não é mesmo? Pois, cada vez mais pessoas tendem a entrar… e se você estiver no começo, SEM FAZER NADA, a tendência é só entrar mais e mais pessoas. E consequentemente, entrar mais dinheiro.

Pois bem. Que pena que não estamos no topo da pirâmide, não é? E que pena que as redes sociais não pagam nada hoje em dia…

Bom, não pagavam. A rede social que paga já existe. E se chama Rippln.

Rippln é uma rede social, que ainda não foi lançada, e que irá pagar para quem estiver no topo. E para estar no topo, você deve ser convidado. E eu tenho os convites.

Não se sabe ao certo como o Rippln irá rentabilizar seus membros. Mas fato é que a rede, cujos convites estão sendo disputados a tapa, e até comprados, está na fase inicial. Ou seja, está nos primeiros níveis da pirâmide. E você pode fazer parte dessa rede.

O que é preciso para fazer parte dela? Bem, o pressuposto é que você seja convidado. Mas para ser convidado, Rippln tem algumas diretrizes, algumas orientações, para que as pessoas escolhidas nessa fase estejam comprometidas com o sucesso da rede. Isso porque, como se vê hoje no Brasil, as redes sociais estão emporcalhadas. Infelizmente, as redes são feitas de pessoas, e nem sempre essas pessoas entendem o conceito de rede social. Desvirtuam a rede, com material impróprio, fakes, vírus, etc.

É por isso que, nessa fase inicial, os convites são limitados e restritos. Eu recebi o meu de um colega americano, e me sinto lisonjeado pelo convite. Da mesma forma, tenho convidado pessoas para o Rippln. Mas não convido qualquer um, pois estou tentando fazer a minha parte: não quero, nos meus contatos, na minha rede inicial, pessoas que possam me trazer problemas posteriormente.

A rede Rippln tem um investimento maciço de grandes “gurus” da Internet. Dizem que Rippln irá revolucionar o conceito de marketing online e social networking. Fala-se até em aposentar o email. Já imaginou o que está por vir?

E o melhor, já imaginou se pagarem mesmo, como dizem que podem pagar?

Eu decidi não ficar de fora dessa, mesmo que não vire em nada. Pelo menos no Brasil, estou no alto da pirâmide. Já faz 4 semanas que me cadastrei, então posso dizer que estou no alto, e meus convites (pelo menos no Brasil) são mais valiosos que outros. Aliás, a cada dia, a cada hora, a cada minuto, a tendência é a pirâmide ir aumentando sua “altura”, e os níveis inferiores serem “menos” relevantes que os de cima.

Por isso, quero fazer um convite a você. Se quiser fazer parte de minha rede (lembre-se, meu convite é mais relevante que um convite de alguém que acabou de entrar), poste um comentário aqui no tópico, dizendo porque gostaria de fazer parte do Rippln. Poste também seu Twitter, ou Facebook, e não esqueça de preencher o campo de email corretamente. Irei retornar o mais breve possível.

Lembre-se: meu convite não é um convite qualquer. Estou há 4 semanas na rede.

Como passar no vestibular

Se você está terminando o segundo grau, e está pensando em fazer uma faculdade, já começou a se preparar para o vestibular?

Para entrar na faculdade, com algumas poucas exceções, é necessário que o estudante faça uma prova, um teste que avalie se ele tem mesmo condições de cursar o próximo nível, o nível superior. É o chamado vestibular.

Para passar no vestibular, o pressuposto é que o estudante tenha os conhecimentos básicos necessários para seguir a carreira escolhida. Por exemplo, se ele quer seguir uma carreira da área de humanas, como direito, letras, ele deve estar mais apto em disciplinas pertinentes a essa área, como português, história, geografia. Caso queria alguma carreira de exatas, deve ter habilidades em matemática, física. E por aí vai.

Não necessariamente o estudante deve saber tudo de exatas, caso vá cursar letras. Mas deve saber o mínimo. O mesmo para uma carreira de saúde. Ele não precisa saber tudo sobre a literatura.

Evidentemente, estamos falando da formação necessária para passar no vestibular. De fato, para a formação do indivíduo, o ideal é que ele domine tudo, de todas as áreas. É consenso dizer que, para uma boa formação, nenhuma matéria deve ser desprezada.

Realmente, isso se vê no dia-a-dia dos principais vestibulares do país. As melhores intituições, que diz-se, formam os melhores profissionais, têm os alunos mais bem preparados em todas as disciplinas. Ingressam os indivíduos com melhor formação geral. Não que isso signifique que somente os melhores alunos entram. Mas o gargalo, o que peneira os contemplados, é a formação geral.

Para passar no vestibular, então, é preciso que o estudante esteja bem preparado. E para preparar-se, é necessário estudar.

Muitos dos estudantes que passam no vestibular estudaram bem durante o ensino médio. São bons alunos de fato, têm o talento. Mas nem todos estudaram como deveriam, ou por não precisarem, pois passam com facilidade nos exames, ou têm preguiça.

Outros, tornaram-se bons alunos pelo esforço. Podem não ser tão geniais assim, mas dedicaram-se, e como fruto de seu esforço, alcançam bons resultados.

Os que entram nas melhores universidades, e pegam as melhores vagas, são quem então? Ora, basicamente, são aqueles que tiveram uma boa formação no ensino médio, são geniais, e dedicaram-se aos estudos. São a nata do ensino médio. São alunos incomparáveis.

Evidentemente, nem todos os que passam são assim. Esses, os super privilegiados, são poucos. Basta conversar com qualquer estudante de qualquer boa universidade para ver que nem todos são gênios assim. Muitos, a grande maioria, são esforçados. Fazem parte do grupo dois, da sub-divisão. São esses os exemplos a serem seguidos.

É possível passar em qualquer vestibular de qualquer universidade. Nem todos os que passam fazerm parte do primeiro escalão. O Sol brilha para todos. Muitos dos que entram nas faculdades passaram por muitas adversidades, contratempos. Não são geniozinhos, não nasceram em berço de ouro, não tiveram professores particulares.

Se você quer passar no vestibular, saiba que sua vaga está garantida. Você não está disputando com outros concorrentes. O único com quem você deve ser preocupar é com você mesmo.

Não existe, com o advento da tecnologia, desculpas para dizer que não está preparado para o vestibular. Todo o conteúdo programático, todos os exercícios que vão cair no vestibular, todos os temas de todas as redações de todos os vestibulares estão disponíveis na Internet. Não necessariamente está tudo mastigado, tudo esmiuçado. Mas com certeza, tudo o que cair no vestibular o Google pode mostrar algo parecido.

Dizer que não tem dinheiro para pagar um cursinho, que não tem acesso ao plantão de dúvidas, que não teve aulas com os melhores professores, nada disso é desculpa para não estudar, para se preparar. Hoje, seja via redes sociais, portais de vestibular, mecanismos de busca, etc… tudo está disponível. E grátis. Basta procurar.

Estudar para o vestibular é ter dúvidas. É questionar o conteúdo programático. É pegar uma matéria, de qualquer disciplina, e responder o maior número possível de perguntas que encontrar. Se não está com o material em mãos, peça. Busque. Faça um resumo. Responda as perguntas de vestibulares anteriores. Fique com dúvidas. Deixe a dúvida martelar a sua cabeça por um tempo… até encontrar a resposta. E passe para a pergunta seguinte.

A metodologia de estudo para o vestibular também está disponível na Internet. Basta procurar o curso e a Instituição de ensino desejada, e ir atrás de quem passou. Pergunte para o cara aprovado como ele estudou. NÃO HÁ aluno aprovado que não vá te dizer como estudou. Todos que passaram orgulham-se de suas conquistas, e podem te ajudar. E é com eles que está o segredo. Não com o professor do cursinho, formado há 30 anos atrás. Não com responsável pela apostila do cursinho tal. Quem passou é quem sabe.

Estude. Não perca seu tempo na Internet. Foque nos estudos. Aproveite todo o tempo livre para ficar com dúvidas. E o tempo que sobrar, gaste resolvendo essas dúvidas. Leia muito. Invente variações de exercícios. Pergunte-se o porque de tal exercício ter sido formulado, tentando encaixá-lo na matéria. Está sem a matéria? Procure.

Lembre-se da segunda divisão, dos alunos que irão passar no vestibular, pois estudaram, esforçaram-se. Você deve fazer parte desse grupo. Não há outra alternativa, pois, se você não for um gênio, não terá chances. Prepare-se para o maior desafio do vestibular. Vencer a si mesmo.

Como clarear uma foto escura

Se você tirou algumas fotos, e muitas delas ficaram escuras, é possível dar uma clareada sem muita dor de cabeça. Basta acessar o site www.fotoescura.com .

Foto escura nunca mais. Basta fazer o upload da foto, e no mesmo instante, você poderá escolher a porcentagem do clareamento. É rápido e fácil.

http://www.fotoescura.com

Abba Pai Santa Bárbara dOeste – péssimo exemplo

Posto da cidade de Santa Bárbara dOeste, interior de SP. Anualmente, na época do carnaval, acontece um certo evento católico, chamado Abba Pai. Por azar, do lado de casa.

Com a pecha de “proporcionar para toda família momentos na presença de Deus e reflexões”, o que se vê é um desrespeito com os moradores próximos. Para aqueles que estão no clima de carnaval, a arruaça até faria sentido. Mas para quem gostaria de ter sossego, e é obrigado a ouvir músicas religiosas até altas horas da noite, tudo não passa de um estorvo.

O desrespeito é evidente e descarado. Passa das 22:00 h, e nada da música parar. Com nomes que já dizem tudo, como Evangelizashow e Cristo Dance, o barulho é ensurdecedor. Em local talvez até apropriado, pois o Caic Irmã Dulce sempre recebe algumas festas, mas em horário evidentemente chucro para esse tipo de evento.

Faço parte do seleto grupo de moradores aporrinhados, indignados com essa palhaçada. E são poucos moradores. Umas 10 casas? Talvez menos… mas mesmo que fosse uma só. Com que direito perturbam o sossego alheio?

Não vem ao caso lei do silêncio, liberdade de culto, liberdade de reunião, e demais jargões que justifiquem ou não tal evento. O que me revolta é o exemplo dado pela igreja. Por que não respeitar o horário? Onde fica o bom senso?

Importante dizer que são irrelevantes quaisquer benefícios que tal evento possa trazer. Isso porque doações de alimentos, pretextos de “reflexões”, etc… tudo isso pode ser feito em horário apropriado, e em local mais apropriado também. É um evento religioso? Por que não é feito na igreja? Ou no campo da feira, em frente à igreja? Ou na Usina?

Mais respeito, Paróquia São Francisco. Repense esse evento.

O sensacionalismo barato do site Terra

Não é raro encontrar nas páginas principais de certos portais reportagens que não prestam pra nada.

Uma delas apareceu hoje no Terra. Diz-se na chamada que um raro acidente iria acontecer.

Acidente falso

Acidente falso

No entanto, nada aconteceu.

http://terratv.terra.com.br/videos/Diversao/Hits-da-Web/4184-451146/Motorista-perde-o-controle-e-vai-na-direcao-de-pedestre-veja.htm

Botaram o estagiário pra trabalhar no fim de semana é!?

Esqueça o Instagram. Conheça o Flickr.

Você usa o Instagram para alguma coisa?

Pois saiba que você não passa de um mero boçal, assim como eu, que se deixou levar pelo modismo e pelo arrastão das redes sociais.

Antes, porém, vou lhe apresentar um serviço voltado para fotos. Para quem não conhece, apresento-lhes o Flickr.

Flickr é um site de upload e compartilhamento de fotos do Yahoo. É visto também como uma rede social. São milhões de membros. Milhões de fotos.

É do Yahoo. Um dos precursores da Internet. Flickr é um dos ícones da revolução da revolução Web 2.0. Se você não sabe o que é Web 2.0, não se preocupe. Só saiba que foi um bagulho loco dos grandes na Internet.

O Instagram, mesmo tendo sido criado por um brasileiro, não chega nem aos pés do Flickr. Flickr, apesar de ter demorado para entrar no mercado mobile (recentemente foram lançados os Apps), está mais do que consolidado como plataforma de fotos.

Isso, sem contar que o Instagram seguiu o caminho inverso. Está agora tentando emplacar seu site. O Flickr, no entanto, tem até API para desenvolvimento de aplicativos. Isso, há anos. Se você não sabe o que é isso, lembre-se do bagulho. É loco.

Se você gosta do Instagram, tudo bem. Mas se você gosta mesmo de fotos, gosta do “real sharing”, quer trocar idéias e compartilhar com quem realmente entende de fotografia, experimente o Flickr.