Como Pode?

Icon

Você já se fez essa pergunta hoje?

A revolução por trás do Periscope

Lançado há pouco tempo, o aplicativo Periscope, do Twitter, é algo revolucionário na Internet. Poucas pessoas se deram conta sobre a importância dessa nova forma de se comunicar.

O Periscope foi uma resposta ao Meerkat. Para quem não sabe, o Meerkat foi o pioneiro na transmissão ao vivo de vídeo. É o chamado broadcasting: qualquer pessoa, hoje, agora pode transmitir informações via celular, para quem quiser assistir.

Qualquer pessoa agora pode se transformar em uma emissora de TV. Virar um repórter. Dar um furo jornalístico ao vivo. Basta ter um celular em mãos, e começar a transmitir para seus seguidores, ou para quem quiser assistir.

A idéia de broadcasting, de streamming, tem o seu caráter revolucionário por criar uma nova forma de comunicação. Se com a Internet já era possível procurar, selecionar a notícia (ao contrário da TV, onde a notícia que víamos era somente aquela, imposta pelas emissoras), agora a notícia perdeu toda e qualquer centralização, monopolização. Não dependemos mais desse ou daquele grupo de mídia, de impérios jornalísticos, de censuras prévias, de replicações tendenciosas das notícias. Depender de um Vimeo, de um Youtube, de blogueiros ou redes sociais espalhando notícias sem sentido? Não mais.

O poder da transmissão AO VIVO em vídeo, por qualquer pessoa, quebra toda e qualquer forma de ruído, de interferência, de parcialidade. É a informação nua e crua, sem retoques.

Faça o teste. Abra o Periscope, e encontre algum evento sendo transmitido ao vivo. Ao mesmo tempo, procure sobre o evento na Internet (provavelmente em algum site, ou post, ou mesmo na TV).

Compare o que você vê sendo transmitido, e o que está sendo dito no site, ou na TV. E tire suas próprias conclusões.

Como evitar um Spoiler? O Google fará isso para você.

Você sabe o que é um Spoiler? Spoiler é uma palavra em inglês que significa espoliação. Espoliação, para quem não sabe, significa mais ou menos estragar, degradar, subtrair deteriorando.

No contexto da Internet, Spoiler tem um significado mais específico. Para quem gosta de séries, filmes, etc, o Spoiler é aquele cara que posta, divulga, revela algo que não precisaria ser postado, divulgado ou revelado. Por exemplo, uma cena importante de uma série, ou o final de um filme.

Spoiler

Spoiler

Existem centenas de formas de um Spoiler agir. Intencionalmente ou não, o que era pra ser uma surpresa, pode ser revelado. E aí o seu filme, sua série, vai literalmente pro saco.

Para evitar a ação de Spoilers, nada mais nada menos que o Google já está trabalhando nisso. De que forma?

Confira no link abaixo:

http://patft.uspto.gov/netacgi/nph-Parser?Sect1=PTO2&Sect2=HITOFF&p=1&u=%2Fnetahtml%2FPTO%2Fsearch-bool.html&r=21&f=G&l=50&co1=AND&d=PTXT&s1=google.ASNM.&OS=AN/google&RS=AN/google

Essa é uma patente do Google, onde está descrito de forma minuciosa um sistema a ser implementado, e que irá evitar de forma efetiva a divulgação não solicitada de informações pertinentes para determinadas pessoas.

Por exemplo: se você tem um determinado perfil, já traçado pelo Google (sim, todos somos conhecidos pelo Google, o Google sabe muito sobre a gente), e você faz uma pesquisa específica, que pode trazer consigo o risco de ser revelado algo importante… o Google conseguirá saber que determinada informação não precisa ser dita. Não naquele momento.

Isso poderá ser feito de várias formas. Como uma daquelas janelinhas chatas, as pop-ups, que irão te dizer que algo importante pode ser dito à sua revelia. Ou então, bloqueando de forma preventiva, com aqueles captchas complicados, onde devemos digitar letras inelegíveis. Podemos também ser compelidos a clicar naqueles botões SIM/NÃO, tão comuns em conteúdos adultos ou conteúdos inapropriados. Enfim.

Se isso é bom ou não, ainda não temos opinião formada. Podemos pensar o seguinte: nossa privacidade estará sendo cerceada de tal forma, que nossas próprias opiniões, nossos próprios anseios pela informação, já estão sendo tolhidos. Ou então, por outro lado, que estamos sendo beneficiados dos tal Spoilers, e que isso será benéfico.

Fonte: http://gizmodo.com/a-google-patent-may-soon-make-social-media-spoiler-free-1696585964

Aplicativos indispensáveis para acordar melhor

Se acordar todas as manhãs tem sido um parto, de tão difícil, que tal utilizar alguns aplicativos para celular que irão lhe ajudar a acordar melhor?

Dormir bem é fundamental, mas acordar bem disposto é ainda mais importante. E para acordar bem, existem uma série de fatores que devem tratados com carinho. Caso contrário, você irá acordar indisposto, com preguiça, cansado até, mesmo depois de uma longa noite de sono.

Imagine-se nas seguintes situações:

– você está no meio de um sonho interessante, e de repente o despertador toca;
– você percebe que o celular está tocando há 5 minutos, já além do horário normal;
– vocẽ não se lembra de nenhum sonho;
– você está só esperando o alarme tocar, pois acordou muito cedo;
– você acorda com o despertador e não consegue desligar;
– você acordou com o despertador e desligou, voltando a dormir;
– você acorda e ninguém te dá bom dia.

São inúmeras as situações onde a sua manhã pode começar de forma traǵica. E para cada uma dessas situações, e muitas outras, existem aplicativos específicos.

Para começar, podemos citar alguns aplicativos que monitoram suas noites de sono. Saber se você entrou no sono profundo, ou se você teve uma noite de sono superficial… se você roncou muito, se teve problemas de respiração, dificultando o descanso… enfim, saber como você dormiu, é muito importante.

Alguns aplicativos específicos para o monitoramento são o Sleep Better e o Snorelab, ambos para iOS e Android.

Sleep Better

Sleep Better

Snorelab

Snorelab

Se os seu problema é motivacional, se o seu dia vai ser um dia complicado, e você precisa daquele empurrãozinho matinal, alguns aplicativos podem te ajudar.

O Carrot Weather, para iOS, irá te dizer como está o tempo, mas de formas divertidas. Em inglês.

Carrot Weather

Carrot Weather

Com o Momentum, você terá o bom dia clássico, e com alguma frase motivacional.

Momentum

Momentum

Para acordar no momento exato do seu sono, aquele momento onde você está com o sono leve, e que não irá te deixar mal humorado, experimente o Sleepcycle.

Sleepcycle

Sleepcycle

Se você tem dificuldade para acordar, faça o seguinte: utilize apps que irão te fazer acordar na marra.

Com o Spin Me, você só consegue desligar o despertador se fizer os movimentos solicitados.

Spin Me

Spin Me

Já com o Icukoo, se você quiser dormir mais um pouquinho, só mais cinco minutinhos, tudo bem. Só que a cada vez que você apertar o botãozinho pra adiar o despertar, você irá fazer uma doação para uma entidade.

Icukoo

Icukoo

A melhor capa para iPhone 4

Se você está procurando uma capa, ou “case” em inglês, para o seu iPhone 4/4S, deve saber que existem centenas de capinhas por aí. Aqui mesmo no site, já postei sobre algumas das capinhas disponíveis para iPhone.

Recentemente, no entanto, recebi uma nova capa, e que me surpreendeu bastante. É um modelo de capa que poderia existir para outros modelos de Smartphones também. Não pesquisei por aí, mas acredito que deve haver modelos parecidos.

O modelo em questão se chama NILLKIN. É uma capa vendida no site Dealextreme (http://www.dealextreme.com). Seu diferencial está nas rebarbas laterais, que conferm maior proteção contra quedas. É uma espécie de amortecedor extra nas beiradas, além da proteção normal, que já envolve todo o iPhone.

Capa para iPhone 4

Capa para iPhone 4

Se você quiser testar a capa, pode encontrá-la no link abaixo:

http://dx.com/p/nillkin-unique-protective-shockproof-matte-case-w-capacitive-pen-for-iphone-4-4s-dark-147745

Como adesivar o carro com Sticker Bomb

Você já deve ter visto por aí alguns carros com a lateral, ou o capô, ou a porta cheio de adesivos. Na verdade, o que se vê é só um adesivo, bem colorido. São centenas de pequenos desenhos, que misturados, formam o chamado Sticker Bomb.

Sticker Bomb

Sticker Bomb

Sticker Bomb é uma forma de customização da lataria de seu carro. Importada dos Estados Unidos, a mania de adesivar, colar adesivos, é antiga. E agora veio pra tomar conta dos carros dos brasileiros.

O processo é simples. Compra-se o adesivo por metro, e é só colar. Existem adesivos que deixam ou não a marca da cola. A empresa no Brasil que tem se destacado no ramo é a Sticker Bombs (http://www.stickerbombs.com.br). O produto parece que leva a marca da famosa 3M na confecção dos adesivos.

Você pode cobrir toda uma parte do carro. Por exemplo, o capô, o teto, o painel (sim, pode ser usado por dentro). Vai da vontade do cliente.

Qual celular comprar?

Se você está pensando em comprar um celular, saiba que existem centenas de modelos disponíveis no mercado. Algumas das marcas principais de celulares são:

– Nokia
– Samsung
– Apple
– Motorola
– Blackberry
– HTC
– LG
– etc

Os preços variam bastante. Existem modelos de menos de R$ 100,00. Os mais caros chegam facilmente nos R$ 2000,00. Tudo depende de quanto você quer investir no seu celular novo.

Partindo do pressuposto de que você precisa de um celular só para fazer ligações, saiba que existem vários modelos simples. São modelos com poucos recursos, como agenda telefônica, alarme, alguns joguinhos. São celulares com telas monocromáticas, iguais às do finado Game Boy. Alguns até têm tela colorida. E continuam baratos. Não devem passar dos R$ 200,00.

Celulares um pouco mais sofisticados podem ser aqueles que têm o teclado qwerty. São celulares que têm todas as letras e números no próprio aparelho, como um teclado mesmo. Normalmente são celulares um pouco mais largos. São finos, coloridos, e com mais recursos do que os anteriores. Podem acessar a Internet, tem joguinhos, alguns tocam músicas, têm rádio FM. Podem usar cartões de memória também. E o mais interessante, são modelos que começam a tirar fotos, mesmo com baixa resolução. Em torno de 2 MB.

Uma categoria acima de celulares são aqueles que têm tela sensível ao toque. São celulares quase sem botões, por exemplo. Tudo é feito de forma interativa, passando o dedo sobre a tela. Botões aparecem na tela. Aliás, tudo aparece na tela. São centenas de programinhas disponíveis (agora chamados de aplicativos). É possível instalar tais aplicativos. Basta baixar da Internet. No entanto, tais aplicativos começam a ser cobrados. Alguns ainda são grátis. Mas a interatividade que o celular oferece tem seu preço.

Ainda sobre esses celulares sensíveis ao toque, é bom citarmos os principais sistemas operacionais disponíveis. Um deles é o Android. Ele está diponível na maioria dos novos celulares desses modelos. O Android é feito pelo Google, e é aberto para os desenvolvedores. Isso quer dizer que centenas de milhares de aplicativos, pagos ou não, estão disponíveis.

Outro sistema operacional que está caindo em desuso é o Symbiam. Recomendamos fortemente que você não insista em celulares Symbiam, pois o próprio mercado está fugindo dele.

No topo dos celulares, estão os chamados Smartphones. São os celulares completos, que fazem tudo, e mais um pouco. São praticamente computadores portáteis. Tais celulares também rodam o sistema operacional Android. O principal concorrente do Android é o iOs, da Apple. Celulares das marcas Blackberry e HTC também estão na briga desse mercado.

Um Smartphone permite que você faça de tudo. Só para citar, vamos mostrar alguns tipos de programas disponíveis:
– jogos (com qualidade de vídeo-games);
– aplicativos para corridas, que utilizam GPS;
– leitores de notícias;
– programas para fotografia e filmagem;
– edição de vídeos;
– aplicativos para crianças;
– players de áudio e vídeo;
– instant messengers;
– aplicativos de redes sociais;
– programas de escritório (planilhas, editores de texto, etc);
– simuladores diversos;
– etc.

Escolher um celular é questão de definir quais são suas prioridades. Quanto mais sofisticado, maior será a dependência. Isso porque um Smartphone é viciante. Em alguns casos, a vida de uma pessoa pode girar em torno do celular.

Pense bem antes de escolher!

Como o robô Curiosity chegou em Marte

Robô Curiosity

Robô Curiosity

A distância da Terra até Marte, o planeta vermelho, é algo em torno de 60 milhões de quilômetros. É uma distância razoável.

Só para se ter uma idéia, vamos fazer uma conta rápida: um carro, a 100 km/h, demoraria quanto tempo para chegar até Marte, estando Terra e Marte na menor distância? Ora, 60.000.000/100 = 600.000 horas. Que equivalem a 25.000 dias. Que equivalem a 68 anos.

Evidentemente, a melhor hora para se planejar uma viagem da Terra até Marte é quando a distância é a menor possível. E foi em 26 de novembro de 2011, de Cabo Canaveral (sim, o mesmo do desenho do Pica Pau), que partiu o robô Curiosity (Curiosidade), rumo à cratera de Gale. Como parte do experimento MSL (Mars Science Laboratory), o robô movido a plutônio teve uma longa viagem pela frente.

Curiosity

Curiosity

Imagine a seguinte situação: você compra um carrinho de controle remoto, e coloca uma câmera digital nele. Coloque também um netbook, um GPS, um celular. Junte tudo, e coloque numa caixa. Se quiser, enfie um Armatron e um Alquimia. Lacre bem.

Armatron

Armatron

Alquimia

Alquimia

Tente mandar essa caixa em um foguete para Marte. Como o robô chegou no dia 6 de agosto de 2012, a viagem até que foi rápida. Muito antes dos 68 anos esperados, caso estivéssemos a 100 km/h. A duração da viagem foi de apenas 8 meses e 10 dias, o que significa que a velocidade média do foguete foi de 10.000 km/h. Tente mandar sua caixa, nessa velocidade, até Marte.

Se você está considerando essa tarefa complicada, que tal começar a se preocupar com a aterrissagem da caixa no planeta vermelho? E o pior: como fazer o Armatron, o Alquimia, o Netbook e o GPS funcionarem juntos, enviando imagens para a Terra? São 60.000.000 de quilômetros, não se esqueça…

Realmente, o que os Estados Unidos, e um conglomerado de outros países fizeram, é algo fantástico. São centenas, talvez milhares de áreas do conhecimento envolvidas, para que o robô Curiosity pudesse chegar funcionando em Marte. Ao custo de 2,6 bilhões de dólares, a aterrissagem com sucesso, em uma cratera de 154 km de diâmetro, é algo absurdo.

Matematicamente falando, é como se você desse uma tacada de golfe, certeira, a uma distância de 1.500.000 km!

A principal missão do robô Curiosity em Marte é descobrir se o planeta vermelho teve vida algum dia. Isso será feito através de uma série de experimentos, compreendendo, principalmente, as seguintes linhas de estudo:

– analisar a composição do solo;
– procurar sinais, vestígios de vida;
– ver como as rochas foram decompostas;
– estudar a presença de dióxido de carbono (molécula indicadora de vida);

entre outros experimentos complexos.

Voltemos à caixa lacrada. Como o Curiosity pesa em torno de 900 kg, multiplique por 10 o peso de sua caixa lacrada. Quase to tamanho de um Fusca, considere a possibilidade de mandar uma Gaiola, equipada com algumas câmeras, e dois computadores obsoletos em 4 anos. Sim, porque somando o tempo da viagem, e a escolha dos equipamentos a serem enviados com o Curiosity, lá se foram 4 anos. Quatro anos de obsolescência.

Fazer uma Gaiola pousar não é tarefa fácil. Um simples pára-quedas não seria suficiente. Algo mais complexo, que resguardasse a integridade da Gaiola, seria fundamental. E é aí que entra um tal de escudo protetor, na base da cápsula, evitando o calor excessivo durante a entrada na órbita do planeta.

Para auxiliar na descida, a Gaiola precisaria também de foguetes propulsores, que literalmente empurrassem para cima, contra-balanceando a queda. Tais foguetes estavam presentes de várias formas.

Tão impressionante quanto a queda com o pára-quedas foi a queda/descida com os foguetes. Estabilizar uma Gaiola sem asas, apenas com foguetes, e fazer com que a descida fosse a mais suave possível, exigiu uma enormidade de cálculos, fórmulas, modelos matemáticos definitivamente inimagináveis para a maioria das pessoas.

As primeiras imagens enviadas pelo robô Curiosity foram feitas pelas câmeras de 2 MP. A resolução é baixa, se comparada às câmeras vendidas no mercado. Mas isso se deve à dificuldade de se transferir os dados. A transmissão é feita através de ondas UHF. Isso impede que a quantidade de dados seja muito grande. Algo em torno de 40 MB no máximo, por dia.

Imagens de Marte

Imagens de Marte

Ao longo dos próximos dias, novos experimentos serão colocados em prática, e novas informações, cada vez mais relevantes, serão disponibilizadas pela NASA.

Eu tive um Master System

Estive lembrando dos tempos em que eu era criança, quando ganhei um Master System dos meus pais. Para quem não sabe, o Master System era um video-game de 8 bits da Sega.

Master System

Master System

Meu Master System tinha um jogo na memória. O nome eu não lembro, mas era um tiro. Pra atirar, eu usava a pistola Light Phaser. Acho que era esse o nome. A pistola a gente encaixava no mesmo lugar onde do controle. Outro bom jogo de pistola era o Gangster Town, onde andávamos por uma cima matando gângsteres.

Pistola Light Phaser

Pistola Light Phaser

Outro jogo escondido na memória era um tal de labirinto. Só fui descobrir que esse jogo existia muito tempo depois. Tínhamos que apertar uma sequência de botões, se não me engano, e o joguinho aparecia. Era o que chamamos hoje de Easter Egg, surpresa programada pelos engenheiros da Sega.

Jogo do Labirinto escondido na memória

Jogo do Labirinto escondido na memória

No Brasil, na verdade, não tínhamos a Sega, e sim a Tec Toy, que hoje deve estar capengando.

Alguns acessórios do Master System eu achava inúteis. O óculos 3D, por exemplo, eu odiei quando ganhei de Natal. O jogo que eu vi pela primeira vez acho que era um tal de Maze Hunter 3D. Odiei mesmo. Enquanto meu irmão se divertia com um teclado eletrônico que ele ganhou, eu fingia que gostava das “imagens 3D” que saíam da tela.

Óculos 3D Master System

Óculos 3D Master System

Um dos jogos que eu mais gostei no Master System foi o famoso Double Dragon II. Na época, Double Dragon era um jogo de fliperama, um sucesso nos postos de gasolina e bares. O diferencia do Double Dragon II era o fato de que os personagens andavam por toda a tela, e não apenas na horizontal, para a frente e para trás. Aquelas voadoras, os ninjas verdes, os Abobos… muito legal mesmo.

Double Dragon  II

Double Dragon II

Outros jogos interessantes eram Black Belt, R-Type, Alex Kidd (e suas várias versões). Um acessório vendido na época se chamava Rapid Fire. Ele era encaixado entre o controle e o console. Com ele, não precisávamos ficar apertando o botão continuamente. Era só deixar apertado, que ele funcionava direto. Funcionava na pistola Light Phaser também.

Rapid Fire

Rapid Fire

R-Type

R-Type

Tive muitos jogos, me diverti bastante com o video-game. Tempos depois ganhei um Mega Drive, mas mesmo assim eu continuava jogando o Master System. Foi uma época bem legal!

Como configurar a câmera IP similar à Foscam

Comprei recentemente uma câmera IP pelo site Dealextreme. Ela é muito parecida com a câmera Foscam, e funciona em uma rede sem fio doméstica, ou pela Internet. Pode ser usada para segurança residencial, comercial, como monitoramento de seu bebê, etc. Seu nome, câmera IP, vem do fato dela usar um IP, ou um número que a identifique na rede, podendo ser acessada praticamente de qualquer lugar pela Internet.

www.dealextreme.com/p/standalone-ip-wireless-wifi-lan-camera-with-night-vision-and-pan-tilt-motors-26358

Essa câmera é fantástica. Tem uma boa resolução, é silenciosa, e principalmente, é barata. Pode ser encontrada por US$ 65,00. Se comprarmos diretamente da China, do site Dealextreme, corremos o risco de pagar o imposto, já que custa mais de US$ 50,00. Mas mesmo assim, compensa. No Brasil, a mesma câmera pode ser encontrada por, no mínimo, uns R$ 200,00.

Tive, e ainda estou tendo, muita dificuldade para configurá-la. Não que seja difícil, mas o conhecimento de redes de computadores necessário é de médio para cima. Então se prepare. São muitos os detalhes, é bem extensa a terminologia em redes para entender cada passo do passo-a-passo. Mas é bem melhor aprender do que pagar um técnico em informática.

O primeiro passo é configurar a câmera. Para isso, é necessário conectá-la diretamente ao roteador, como se fosse um computador. Ao fazermos isso, atribuímos um endereço Ip à câmera, que pode ser verificado através do programa Ip Câmera Tool. Esse programa, que vem junto num CD, ou pode ser baixado da Internet, identifica o Ip que a câmera pegou. A atribuição de um endereço Ip pode ser feito de duas formas: ou por DHCP, onde o roteador escolhe aleatoriamente, dentro de uma faixa, um Ip para a câmera. Ou atribuindo um Ip fixo, sendo necessário também informar o gateway, DNS, etc.

No meu caso, minha rede tem a forma 192.168.0.XXX. Optei por dar um Ip fixo, 192.168.0.109 para a câmera. Fiz isso da seguinte forma:

Pegamos esse endereço Ip, aquele encontrado pelo Ip Câmera Tool, e digitamos diretamente no navegador (Internet Explorer ou Firefox), e pronto. Estamos, dessa forma, dentro da câmera. Esse Ip, como foi feito via cabo, foi escolhido pelo roteador. Então pode ser, por exemplo, o 192.168.0.100. Ao digitarmos esse Ip no navegador, entramos na câmera, e aí sim, vamos escolher um Ip fixo, definitivo. Isso é feito na opção Device Management -> Basic Network Settings. Da próxima vez que abrirmos o Ip Câmera Tool, veremos que ele irá aparecer logo de cara, e sempre com o mesmo Ip que escolhemos (no caso, 192.168.0.109). Ao digitarmos ele no navegador, já estaremos dentro da câmera. Nesse ponto, você pode até desconectar o cabo de rede, pra ver se ela já é localizada via wi-fi.

Caso você não esteja conseguindo se conectar (caso o Ip não apareça no Ip Câmera Tool), é porque faltou configurar a senha de acesso à rede na sua câmera. Volte o cabo de rede nela, digite o Ip no navegador, e na opção Device Management -> Wireless LAN Settings, preencha os campos de acordo.

Podemos agora visualizar as imagens que a câmera capta. Ela gira para todos os lados, tem a função de se movimentar aleatoriamente sozinha, etc. Estamos, nesse ponto, com acesso à câmera em nossa rede doméstica apenas. De qualquer computador é possível ver a câmera, bastante saber o usuário e a senha, e o Ip da câmera.

No próximo post explicarei como acessar a câmera pela Internet. No momento, ainda estou apanhando um pouco, mas assim que ficar redondo, posto as coordenadas aqui.

Como clarear fotos online

Quem tira muitas fotos, à noite principalmente, pode ter problemas na iluminação. Resultado: fotos muito escuras.

Uma das formas de atenuar esse escurecimento das fotos é usar um programa editor de imagens. Para quem não tem um programa instalado, pode tentar fazer a correção na internet mesmo, sem precisar baixar nenhum programa. Só visitar o http://www.clarearfoto.com.

No http://www.clarearfoto.com é só fazer o upload de sua foto escura, e dizer qual a porcentagem de clareamento desejado. Em instantes, você poderá ver detalhes que nem apareciam antes!

Se você quiser, poderá aplicar ainda outros efeitos interessantes, como esfumaçar, colocar molduras, colocar bordas, recortar, girar, inverter, e muito mais!

Confira no http://www.clarearfoto.com.