Como Pode?

Icon

Você já se fez essa pergunta hoje?

O que é e como encontrar um investidor anjo

O que é um investidor anjo? Basicamente, um investidor anjo é uma pessoa física ou pessoa jurídica, com muito dinheiro, disposto a ajudar empreendedores em seus novos negócios.

Normalmente, um empreendedor, seja da área de TI, seja de outras áreas, tem boas idéias em mente, mas não tem o capital necessário para dar início à sua empreitada. Isso acontece por vários motivos. Uma boa idéia de negócio na Internet, por exemplo, precisa de dinheiro para que se torne conhecida, ou para que comece a dar resultados. Seja na parte de marketing, de desenvolvimento, em relação a equipamentos, parcerias, etc, dinheiro é fundamental.

Além do dinheiro, é fundamental ter um plano de negócios. É através do plano de negócios que uma boa idéia sai do papel, tem início, se sustenta, cresce, evolui. E muitas boas idéias nem imaginam o que é esse tal plano de negócios… e é aí que entra o investidor anjo também. Ele não só entra com o dinheiro, mas também te dá a ajuda necessária para que o negócio vá pra frente.

De que forma o investidor anjo ganha dinheiro com isso? O investidor anjo, ao arriscar em uma boa idéia, espera ter participação nos lucros e resultados, caso tudo dê certo. Por exemplo, se a idéia render muito dinheiro, o investidor anjo tem direito a uma porcentagem. O mesmo, caso a idéia seja vendida. Em alguns casos, o investidor anjo tem participação majoritária na empresa/idéia. Ou então, o investidor anjo se torna dono da idéia, e os idealizadores se tornam apenas empregados. São vários os cenários.

Como encontrar um investidor anjo? São vários os canais para que se encontrar um investidor anjo. O ideal é procurar pessoas ou empresas que tenham conhecimentos na área de abertura de empresas, em especial, de empresas de TI (as chamadas Startup’s). Empresas bem sucedidas, por exemplo, brotam em universidades, “incubadas” na própria universidade, e são muito assediadas por investidores. Você pode procurar contatos nesses locais, por exemplo.

Se sua idéia for muito boa, o investidor anjo vai até você. Não tenha dúvidas disso. Sites com milhares de acessos, por exemplo, recebem propostas de parcerias de grandes portais a todo instante. Se o seu site tem mais de 100.000 acessos diários, por exemplo, são grandes as chances de você já ter sido procurado por outros sites de mesmo nicho, ou por algum portal pequeno ou grande interessado em abocanhar seus visitantes. Esse seria o caso de um investidor anjo pessoa jurídica. São centenas de casos espalhados pelo país.

Se voce é um investidor anjo, ou gostaria de começar a investir seu dinheiro em alguma boa idéia, não perca tempo. Você pode multiplicar seu capital, investindo em alguma boa idéia que pode estourar a qualquer momento.

Como fazer contas de matemática usando o Google

Se você precisa fazer algum exercício de matemática no computador, e não tem ou não pode instalar os programas clássicos como MatlLab, entre outros, que tal usar o Google?

Contas simples de somar, subtrair, multiplicar e dividir podem ser feitas rapidamente. Basta digitar a expressão, e o Google irá retornar o resultado. Por exemplo, para a soma de 1+1, não há segredo.

Caso você utilize os parênteses, colchetes e chaves, o Google não irá entender. Você deve usar somente os parênteses. Por exemplo, se você quiser o resultado da expressão [3 * ( 1 + 2 ) ], que dá 9, você deve digitar (3 * ( 1 + 2 ) ).

Para fazer cálculos mais complexos, você pode utilizar alguns operadores matemáticos. Por exemplo, caso você queira saber o resultado de 2 elevado a 3, que é igual a 2 * 2 * 2, você deve digitar 2^3. Utilizando o chapeuzinho (acento circunflexo), dizemos que a base 2 deve ser elevada ao expoente 3.

Talvez você precise calcular o logaritmo de um número. Para o logaritmo de 100 na base 10, você pode digitar log(100). Automaticamente o Google entende que a base desejada é 10, e retorna o resultado. É possível fazer o cálculo do logaritmo neperiano também. Basta digitar ln(100), diferentemente de log(100).

Que tal fazer cálculos trigonométricos? É possível calcular rapidamente o seno, coseno e tangente. Basta utilizar as fórmular sin(x), cos(x) e tan(x). Repare que o Google irá apresentar o gráfico da função também. E mais: é possível interagir com o gráfico.

Mais interessante ainda é combinar as funções trigonométricas. Fórmulas clássicas, que resultam em desenhos, podem ser visualizada no próprio navegador. Por exemplo, você conhece o Batman? Basta resolver a expressão 2*sqrt(-abs(abs(x)-1)*abs(3-abs(x))/((abs(x)-1)*(3-abs(x))))(1+abs(abs(x)-3)/(abs(x)-3))sqrt(1-(x/7)^2)+(5+0.97(abs(x-.5)+abs(x+.5))-3(abs(x-.75)+abs(x+.75)))(1+abs(1-abs(x))/(1-abs(x))),-3sqrt(1-(x/7)^2)sqrt(abs(abs(x)-4)/(abs(x)-4)),abs(x/2)-0.0913722(x^2)-3+sqrt(1-(abs(abs(x)-2)-1)^2),(2.71052+(1.5-.5abs(x))-1.35526sqrt(4-(abs(x)-1)^2))sqrt(abs(abs(x)-1)/(abs(x)-1))+0.9

E por aí vai…

Sites populares na China

Você sabia que na China existem 510 milhões de Internautas? É mais que o dobro da população do Brasil. Para cada brasileiro, existem mais de dois chineses conectados! Um número impressionante, e pouco divulgado.

E o que os chineses acessam? Quais os principais sites, os sites mais populares na China? Será que é o Facebook? O Orkut? o Youtube?

Sendo a China um país mais fechado que outros países, é de se esperar que o acesso às informações seja mais restrito. Isso se dá de duas formas: repressão e censura do governo, como visto recentemente, e o próprio isolamento cultural. Em especial, pela língua, e seus complexos ideogramas. Some-se aí o número menor de Internautas chineses que sabem inglês, e o cerco está fechado. Os principais sites são os de lá mesmo.

O site mais famoso e mais acessado na China se chama Baidu (http://www.baidu.com). É um site de buscas, como o Google, e domina 70% dos acessos chineses. Iniciou suas atividades oferecendo serviço de busca de músicas no formato MP3. Chegou à posição 17 no ranking Alexa (http://www.alexa.com), que “mede” os acessos dos sites na Internet. Só ofereceu o serviço de busca textual com autorização do governo chinês (foi o primeiro a obter tal concessão), e mesmo assim, tem o seu conteúdo controlado (censurado).

Interessante notar que o serviço de busca de músicas do Baidu, o Baidu Ting, teve de fazer um acordo com a Music Copyright Society of China (MCSC), responsável pelos direitos autorais de músicos, compositores e produtores. Isso porque, segundo seu próprio entendimento, antes do acordo, o download das músicas seria algo normal. No entanto, o que se via era um incentivo à pirataria.

Outro site famoso é o QQ (http://www.qq.com). Começou como um serviço de comunicação instantânea, muito parecido com o ICQ. Tem no momento mais de 700 milhões de contas, o que demonstra o seu poder em outros países também. QQ expandiu sua rede, passando a oferecer centenas de outros serviços, tornando-se um dos maiores portais asiáticos.

Sina.com.cn e Weibo.com, juntos, respondem por 30% da audiência chinesa. Lançados em 2009, podem ser considerados sites com estrondoso sucesso. Enquanto o Sina.com.cn responde pela parte de notícias e entretenimento, despontando como o principal portal chinês, Weibo.com é o maior serviço de microblogging asiático. Semelhante ao Twitter, Weibo.com tem como seus principais usuários ilustres desconhecidos no Brasil, como Yao Chen (http://weibo.com/yaochen), atriz chinesa com mais de 18 milhões de seguidores, e Dees (http://weibo.com/dees), 17 milhões de seguidores, que eu não consegui descobrir o que é ou faz.

Yao Chen, atriz

Yao Chen, atriz

Para quem gosta de fazer compras online, os chineses contam com o TaoBao.com (http://www.taobao.com). Muito parecido com o e-bay, o site chinês reúne milhares de vendedores, que oferecem uma infinidade de produtos. Não é exagero dizer que milhares de chineses vivem do comércio feito no TaoBao. Como o mercado chinês de produtos diversos é muito concorrido, comprar e vender online se tornou imprescindível para quem quer ter lucro. E com o crescente interesse dos ocidentais pelos produtos chineses, TaoBao vem se firmando como nova mina de ouro, tanto por chineses quanto por pessoas do mundo todo.

ps: em breve, faremos um tutorial sobre mais essa alternativa de compra e venda de produtos chineses.

Como poucos devem saber, o Youtube é bloqueado na China. Lá, as únicas alternativas de compartilhamento de vídeos são as chinesas. Sites menores, famosos também, têm acesso restrito, ou com censura na divulgação.

Os principais sites chineses de vídeos são o Youku e o Tudou. Ambos os sites oferecem tecnologias próprias de exibição dos vídeos. Com players distintos, ambos oferecem uma quantidade de vídeos sem precedentes na Internet. Só imaginar que esses sites são a única válvula de escape para os vídeos chineses.

Temos ainda centenas de milhares de sites, de todos os tipos. Por se tratar de um universo totalmente diferente do ocidental, alguns sites podem, por exemplo, despontar de forma discrepante. É o que acontece com sites de relacionamento, que são dominantes. No Brasil, somente o Facebook, Orkut e Twitter se destacam. Na China, temos por exemplo o Douban, RenRen, Kaixin001, entre outros. Isso demonstra a necessidade dos jovens chineses de se relacionar, de trocar idéias, de forma diversa que o regime lhes impõe. Mesmo correndo os riscos da censura, da opressão, para não citar os piores.

Origem do sushi Califórnia e do churro recheado

Você sabia que o sushi Califórnia, aquele cuja alga não vai por fora, e sim por dentro, foi inventado na Califórnia? Nos EUA?

O que você não sabia era que ele foi inventado por um japonês. Ou, pelo menos, por um descendente de japonês. Ichiro Machita.

Outra coisa que você não sabia era que o churro, aquele que conhecemos das barraquinhas de rua, não leva recheio em sua receita original. No Brasil, e em elaguns outros paíse da América do Sul, é que inventaram de fazer um furo nele, e enfiar doce de leite ou chocolate.

E pra fechar, você sabia que o yakisoba foi inventado pelos chineses, e não pelos japoneses?

Como transferir dinheiro entre bancos

Se você precisa transferir dinheiro de um banco para outro, saiba que existe mais de uma forma de se fazer isso. Cada forma tem seus prós e contras, preços, tempo de compensação, e tal.

Em primeiro lugar, deve-se saber qual o valor a ser transferido. Hoje, por determinação do Banco Central, transferências de valores abaixo de R$ 3.000,00 são chamadas de DOC’s, e só caem na conta do outro banco à meia noite.

Valores maiores ou iguais a R$ 3.000,00 são chamados de TED’s. As TED’s caem no mesmo dia, em questão de minutos. As TED’s têm horário limite pare serem feitas. No máximo, até as 17:00 h. Se você perder a hora de transferir o dinheiro, você pode fazer vários DOC’s depois das 17:00 h. O problema é que você deverá pagar por cada transferência feita.

O custo de uma transferência hoje está em torno de R$ 13,50.

Para enviar um DOC ou TED, é necessário estar de posse dos dados da pessoa que irá receber o dinheiro. Os dados imprescindíveis são CPF ou CNPJ, nome e número do Banco, agência, conta, nome da pessoa (ou razão social, se for empresa).

Se a conta da pessoa que for receber o dinheiro for uma conta conjunta, deve-se informar os dados do primeiro titular.

Uma outra forma de se enviar dinheiro é através de um cheque administrativo. Tal cheque é um cheque emitido pelo banco. Ele tem garantia de fundos (não irá voltar pelas alígneas 11 – sem fundo, e 12 – sem fundo novamente), pois o dinheiro está no banco para ser descontado/compensado. É um cheque “contra os caixas”, pois quem assina, normalmente, é um caixa e um gerente (sempre duas assinaturas!).

Para se fazer um cheque administrativos, é necessário saber o nome, CPF ou CNPJ de quem irá receber o dinheiro. A pessoa que está fazendo o cheque deve estar de posse de seu RG e CPF. Dados como número do RG, data de expedição, se é SSP etc, são necessários para a emissão do cheque. Seu custo está em torno de R$ 25,00. Se o cheque fo feito por pessoa jurídica, e ele for acima de R$ 5.000,00 é necessário pagar uma tarifa adicional de 0,11 % sobre o valor do cheque.

O cheque administrativo pode ser endossado. Ele também pode ser depositado.

Nunca leve dinheiro de um banco para outro em espécie. Sempre tem alguém de olho em você, portanto todo cuidado é pouco. De preferência, faça sempre as transferências. Custam pouco, mas podem valer até a sua vida.

Eu gostei do circo

A última vez em que fui num circo tem, pelo menos, uns 25 anos. Lembro vagamente de ter ido com meu pai, quando eu era criança ainda. O palhaço me deixou meio traumatizado naquele dia. Numa de suas brincadiras, ele sentou no colo do meu pai, fez alguma graça… e é só isso que lembro.

Hoje tive o prazer de ir num circo com minha filha. É um circo bem modesto, familiar, como dizem por aí. Acompanhei esses últimos dias ele subindo aos poucos, devagar. Bem do lado de casa.

Ver as pessoas levantando o circo, fazendo uns gatos, endireitando as antenas Sky em seus traillers, não me causou boa impressão. Meio que fui preconceituoso, julgando aquele povo que se instalavam num terreno baldio, sem cerimônia.

Ao entrar no circo, no entanto, mudei radicalmente de opinião. Ver os palhaços, que no dia anterior davam duro pra erguer os postes, as grades… ver o homem que cospe fogo, e que no dia anterior, capinava parte do terreno… ver a adolescente trapezista, que no dia anterior, parecia uma vagabunda, estirada numa rede, à toa…

Como somos preconceituosos. Tive a imensa felicidade de sorrir com as piadas contadas pelos palhaços. Meus olhos, tanto quanto os de minha filha, brilharam quando vi os malabares. Me emocionei quando vi o palhaço, que segundos antes estava no palco, e que momentos depois estava na correria, vendendo brinquedinhos na platéia.

Trabalhar em circo não deve ser fácil, mas o trabalho deve ser dos mais gratificantes. Ver o sorriso das crianças, dos adultos, que se entregam a essa volta à infância, deve ser demais.

O que é o Funk

Retirei a seguinte definição da Wikipedia:

Funk é um gênero musical que se originou na segunda metade da década de 60 quando músicos afro-americanos, misturando soul, jazz e R&B, criaram uma nova forma de música rítmica e dançante. O Funk tira o ênfase da melodia e da harmonia e traz um groove rítmico forte de baixo elétrico e bateria no fundo. Músicas de Funk são comumente baseadas em um acorde apenas, distinguindo-se das músicas de R&B, que são centradas nas progressões de acordes.

O Funk pode ser melhor reconhecido por seu ritmo de batidas repetitivas sincopado, pelos vocais de alguns de seus cantores e grupos (como Cameo, ou The Bar-Kays). E ainda pela forte e rítmica seção de metais, pela percussão marcante e ritmo dançante. Nos anos 70 o funk foi influência para músicos de jazz (como exemplos, as músicas de Miles Davis, Herbie Hancock, George Duke, Eddie Harris entre outros).

Piano Funk

Piano Funk

Percebe-se que, no Brasil, Funk não remonta a suas origens nobres, e nem de longe lembra ícones como James Brown. O que se vê hoje em dia é o total descaso com a definição de um gênero musical, atribuindo a qualquer “barulho” o nome “Funk disso”, “Funk daquilo”, como se fosse Funk de verdade.

De quem é a culpa? Pode-se dizer que a popularização de recursos eletrônicos acabaram proliferando, nas camadas mais pobres da população, o direito de achar que qualquer lixo com rima seria Funk. É o exemplo clássico da mentira bem contada, que aceita por todos, pode acabar virando verdade. Um canta pro outro, um acha que aprendeu a rimar, outro acha que é MC da casa do caralho, e o circo está montado. É Funk e pronto e acabou.

Cuidado. Funk de qualidade você não encontra por aí…

Como fazer um mojito

Mojito, para quem não sabe, para quem nunca foi pra Cuba, é um coquetel feito com rum, açúcar, hortelã, limão e soda.

Sua origem é incerta, mas diz a lenda que ele foi criado em alto mar. Ernst Hemingway é um dos responsáveis por disseminar a origem incerta de sua criação.

Mojito

Mojito

Como conseguir seguidores no Twitter

Quem tem Twitter sabe que é legal ter muitos seguidores. Postar pra ninguém ler nem sempre é interessante. O ideal é que, ao postar, quanto mais pessoas lerem, melhor.

Ter muitos seguidores no Twitter é algo muito subjetivo. Você pode ter uma meia dúzia de seguidores, que realmente te seguem, e para os quais você é importante. Você pode ter também milhares de seguidores, e que nunca nem se deram ao trabalho de entrar no seu Twitter. São apenas números.

Para ambas as situações, são vários os prós e contras. Se você tiver seguidores fiéis, e sua mensagem for importante, relevante, ela será lida, com certeza. E são grandes as chances dela ser passada adiante, de ser comentada, etc e tal. Se você tiver centenas de milhares de seguidores, por questões matemáticas, estatísticas, ela poderá ser lida também. Se você tiver sorte, alguém vai ler, vai achar interessante, e pode passá-la adiante também.

Se fôssemos levar em consideração o porque dessas redes sociais existirem, certo seria que os seguidores fossem, de fato relevantes. Isso faria com que a informação que transita pela rede seja mais robusta, mais direcionada. Não apenas palavras jogadas ao vento, como muito se vê hoje em dia. A razão de ser da rede social seria, de fato, ser social.

Ter seguidores “zumbis”, segundo essa premissa, é algo sem valor, portanto. Não vale nada. É o típico comportamento adolescente, de ser popular, de querer ter muitos amigos, sem nem mesmo conseguir dar atenção a todos eles. Ter muitos seguidores seria a razão principal da rede social, nesse contexto. Aos olhos dos outros, de quem vê um número inflado de seguidores, pode-se até ter a impressão de que o seguido é mesmo “popular”. O que nem sempre acontece.

Utilizar os vários sistemas que existem por aí para conseguir mais seguidores faz justamente isso. Adiciona, com o mínimo de critério, pessoas aleatórias em Twitters aleatórios. E nessa aleatoriedade, os números disparam. Nesses sistemas, o adicionar automático, o “conseguir mais followers”, hoje oferecido de forma gratuita e paga, podem ser considerados uma praga nas redes sociais.

Se você quer conseguir mais seguidores no Twitter de verdade, seguidores que realmente sejam relevantes, é necessário que você seja relevante para eles também. E isso é algo muito relativo. Você pode ser um anônimo, com milhares de seguidores, pois escreve (tuita) coisas engraçadas, ou interessantes, ou informativas… escreve algo que mereça ser lido. E isso vai muito de cada um.

Uma forma de ser relevante é postar algo relevante. E uma das formas de postar algo relevante pode ser feito no site TWIGRUPOS (http://twigrupos.com). Lá é possível criar uma campanha, sobre qualquer tema. Ao criar a campanha, você deve enviar uma imagem, que será como um selo, um adesivo, que será colado sobre a sua foto do Twitter. Esse adesivo deve ser algo relativo à sua campanha. Ao criar a campanha, o adesivo fica disponível para ser colado por todas as pessoas que se interessarem pelo tema.

Quem colar o adesivo sobre sua própria foto, imediatamente irá te seguir no Twitter também. Isso é ser relevante, sem trapaças. Se sua campanha for interessante, muitas pessoas irão te seguir. Com muita sorte, como num efeito cascata, milhares de pessoas podem acabar te seguindo.

Você pode tentar criar uma campanha e sair divulgando. Faça o teste!

http://twigrupos.com

Todo japonês é honesto, trabalhador, certinho?

Diz a lenda que as pessoas de ascendência oriental são trabalhadores, honestos, de confiança. Em especial os japoneses. Quem conhece, ou já conheceu alguma família de japoneses, tem essa impressão.

Isso acontece por vários motivos. Como vieram de outro país a trabalho, e conseguiram relativo progresso, as pessoas têm a impressão de que todos os japoneses merecem respeito e admiração.

De fato, grande parte dos japoneses não passa maiores necessidades. É difícil ver algum descendente de japonês pedindo esmola, por exemplo. Ou ainda, pouco se ouve falar de descendentes de japoneses envolvidos em crimes como roubo, assassinatos, sequestros.

No entanto, é bom ficar de olhos bem abertos. Como em toda sociedade, existem sim os ovelhas-negras, pessoas que resolvem fugir a regra, e acabam sendo recriminadas com ou sem razão.

Uma dessas pessoas apareceu recentemente nas manchetes. É uma jovem de Campo Grande, de apenas 19 anos. Detenta. Descendente de japoneses. Acusada de trafico de drogas. Seu nome é Kettryllen Oshiro, e venceu recentemente um concurso de beleza. Que grande orgulho deve ser para os pais e avós.

http://glo.bo/p0MmZC

Japonesa presa

Japonesa presa

Outra pessoa mais famosa é o político Luiz Gushiken. Segundo a wikipedia,

“Em 2005 Gushiken foi acusado e defende-se em processos em curso junto ao Tribunal de Contas da União e ao Supremo Tribunal Federal. Deixou a Secretaria de Comunicação e perdeu o status de ministro, assumindo a função de Chefe do Núcleo de Assuntos Estratégicos, NAE. Deixou o governo definitivamente em 2006, pouco tempo após a reeleição de Lula.”

Luiz Gushiken

Luiz Gushiken

Em São Paulo, no bairro da Liberdade, temos um ou dois japoneses mendigos. Quem já passou por lá deve ter visto. Diz a lenda que várias famílias de descendentes de japoneses de lá já tentaram ajudá-lo, mas o boa vida simplesmente recusa-se a receber qualquer tipo de ajuda.

Esse não é ele

Esse não é ele

Se levarmos em conta a questão de bom senso, temos na mídia alguns descendentes que tiveram suas atitudes questionadas, por não estarem de acordo com o que “boas famílias” pregam. Estamos falando da famosíssima Sabrina Sato, que além de posar pelada, protagonizou uma das poucos transas no Big Brother Brasil, da rede Globo.

Sabrina Sato

Sabrina Sato

Mais espantoso ainda foi um sequestro ocorrido há mais de 20 anos na cidade de Mogi das Cruzes. Dois estudantes do renomado ITA, de São José dos Campos, sequestraram a filha de uma das famílias mais tradicionais da cidade, os Eroles, de uma empresa de ônibus. Pascoal Katsumi Ishii e Eiji Ishisaki, foram mortos por manterem em cárcere privado (sequestro) Thabata Larissa Eroles Aragão. Diz a lenda que eles foram cobrar uma dívida relativa a contrabando de produtos do Paraguai. Na época, Gil Gomes deu o ar da graça na cidade, chamando o ITA de Instituto de Treinamento de Assassinos. Os dois estudantes foram mortos.

http://www.tvmoginews.com.br/default.aspx?id=3823

No Japão, os descendentes de japoneses são personagens pitorescos das mais variadas tragédias familiares, dignas de Nelson Rodrigues. Brasileiros (sim, brasileiros, pois nasceram no Brasil) descendentes de japoneses aparecem com frequencia nos telejornais japoneses. Mal vistos, são responsáveis por pequenos furtos, desinteligências, e até assassinatos. O brasileiro Adriano Sakamoto (35) é o principal acusado de ter matado a japonesa Yumi Harada (36) grávida de 7 meses dele em Aichi-ken, Kota-cho.