Como Pode?

Icon

Você já se fez essa pergunta hoje?

Um animal estranho foi encontrado há pouco tempo na Tailândia. Pouco se sabe sobre essa criatura, que mais parece um bicho de filme de livro. Tipo um golem mesmo.

Confira as imagens e tire suas próprias conclusões!

Estranha criatura na Tailândia

Estranha criatura na Tailândia

Estranha criatura na Tailândia

Estranha criatura na Tailândia

Estranha criatura na Tailândia

Estranha criatura na Tailândia

Estranha criatura na Tailândia

Estranha criatura na Tailândia

Guerra de mamonas

Quando criança eu era sem noção. Um dia, num terreno baldio, juntamos um monte de amigos, e fomos fazer o que? Guerra de mamona.

Até aí tudo bem. Quem não conhece a mamona, ela é uma planta que dá umas bolinhas verdes, com espinhos moles, que nem machucam. Só dói se jogarem com força… ou se jogarem o cacho inteiro. E isso acontecia hehe…

Bom, se fosse só as mamonas, tudo bem. Mas fazíamos “bases”, com placas de madeira (maderitis). Como não tínhamos dinheiro, roubávamos, ou pegávamos emprestado das construções perto. E nos protegíamos com elas.

Mamonas pra lá, mamonas pra cá… eis que vejo um colega com um corte profundo na perna! Mamona não tinha sido… ele chorando de dor, indo pra casa… o cara tinha rasgado a perna num prego da maderiti!

Complicado isso. Coisas de menino!

Video Games portáteis

Eu parei no tempo. Nunca joguei Xbox, Nintendo Wii, esses video-games novos que tem por aí. Sou do tempo do Master System e Mega Drive. A transição do 8 bits para o 16 bits.

Quem tem em torno de 30 anos é da minha época. E quem é dessa época, vai se lembrar dos video-games portáteis. Sim, estou falando do Game Boy e do Game Gear.

Game Boy na época era demais. aquela coisa pequena, que trocava de cartuchos. Mesmo não sendo tela colorida, mesmo tendo uma imagem cinza sofrível, os jogos eram legais. Ou não? Quem nunca jogou Tetris? F1 Race?

Lembro que tinham vários acessórios, mas só nas revistas mesmo. De verdade, nunca vi. Lâmpadas para iluminar a telinha, lente de aumento, caixas de som… um monte de bugigangas que tentavam dar fôlego pro bichinho.

E o Game Gear então? O console portátil da Sega? Eu tive um… e ele funcionava como TV portátil também! Era só encaixar o módulo, em formato de cartucho… posicionar a antena certinho… e pronto! Uma super TV!

Ruim eram as 6 pilhas que o Game Gear consumiam (no Game Boy eram 4). O jeito era jogar plugado na tomada… ou no acendedor do carro. Como pilhas recarregáveis não existiam na época, a mobilidade era só pra quem tinha muita grana pra gastar com pilha mesmo hehe…

Lembro ainda de outros video-games menos famosos. Aliás, não lembro não. Esqueci o nome… acho que era LYNX… tinha um que invertia a tela, pra destros e canhotos… acho que era o LYNX.

Bons tempos!

Preguicite aguda

Vez ou outra compro umas esfihas no Habibs, e tal. Lá, as mesas ficam perto do caixa. Então posso sentar e esperar enquanto meu pedido não sai.

Preguiça? Não mais hehe… depois dessa foto…

Preguicite

Preguicite

Malabarismo chinês

Acredito que sejam chineses os malabaristas do vídeo abaixo. Confiram no vídeo a incrível perfomance:

Nunca vi um trapezista em ação. Mas pelo pouco que sei, trapezista deve ser aquele povo que sai voando nos trapézios. Já os malabaristas seriam os que usam bolas, pinos de boliche, tochas, coisa e tal.

Vendo esse vídeo, percebo uma linha tênue entre esses termos. Chineses voando de um lado pro outro, sendo arremessados para o alto?! É meio que uma mistura de malabarista com trapezista mesmo, só pode ser.

Google Street View no Brasil

Quem conhece o Google Maps, talvez já tenha visto por aí o recurso do Google Street View. São aquelas imagens panorâmicas, onde se pode ver tudo em volta, como se realmente estivéssemos lá.

Pois bem. O que poucas pessoas sabem é que o Google Street View está para ser lançado no Brasil. Cidades como Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo já foram fotografadas, e as imagens estão em processo de tratamento. É questão de tempo até o lançamento oficial.

Imagine só. Você poderá visitar a Avenida Paulista, e ver o Masp. Ou então dar uma passeada no bairro oriental da Liberdade. Que tal ver a Praça da Sé?

Tudo isso e muito mais será possível através do Google Street View. E para ajudar ainda mais na localização de coordenadas interessantes, já estão no ar três sites voltados especialmente para a captação e disponibilização dos melhores flagrantes do Google Street View no Brasil. São eles:

http://www.bhnomapa.com para a cidade de Belo Horizonte;

http://www.sampaview.com para São Paulo, capital;

http://www.riostreetview.com Rio de Janeiro.

Essas são as três primeiras cidades. Provavelmente, muitas outras capitais serão visitadas também. Há relatos, por exemplo, de que em Bauru já foram vistos os carros do Google.

Fica aí a dica!

Impressora de Lego

Quando eu era criança brinquei muito de Lego. Eu tinha vários kits, como o de naves espaciais, de bombeiro, entre outros.

Eu achava que era criativo. Mas nunca imaginei que algo como uma impressora de Lego poderia ser feita.

Baterista locão

Eu já tentei tocar piano, guitarra e saxofone. No entanto, não aprendi nenhum.

Isso não me impede, no entanto, de dizer quando um cara toca bem alguma coisa ou não. Algumas pessoas têm o dom. E esse cara é um exemplo: o baterista locão!

Laiscare – ajaponesando o inglês

Cresci comendo um prato japonês que se chamava “Laiscare”. Esse prato, preparado com batata, cenoura, carne e mollho curry, é um prato meio picante, bom pra se comer no frio.

Bom, fato é que só ontem descobri a origem do nome. Eu conhecia também por “carê”, parte final do tal “laiscare”. Mas nunca imaginei que sua origem era tão simples:

“Carê” vem de “curry”. Não que a pronúncia seja parecida, mas para os japoneses, tem tudo a ver. É a versão “ajaponesada” para “curry”. Algo como “câri”.

Mas e o tal do “Lais”? Nem imagina? Bom, esse prato a gente come com arroz. E arroz, em inglês, é como? Rice! Que na versão “ajaponesada”, seria… “rais”. Ou seja, “Lais”.

Bom lembrar que no idioma japonês não temos a letra “L”. Então o tal “Lais” não seria tão japonês assim. No entanto, estamos no Brasil.

update: pesquisei no Google, e não encontrei nada sobre “Laiscare”, com “L”. Mas, procurando por “Raiscare”, com “R”, encontrei o dito cujo. Isso me leva a crer que aprendi errado com meus pais hoho. Ou então, não captei a pronúncia (e eles falavam “Raiscare”).

Raiscare

Raiscare

Batidão Policial

A moda agora é dar batida policial com estilo.