Como Pode?

Icon

Você já se fez essa pergunta hoje?

Ônibus cheio

Ônibus cheio

Ônibus cheio

Muro das lamentações

Muro das lamentações

Muro das lamentações

Música ao vivo

Música ao vivo

Música ao vivo

Cortando o clima

Abordagem pertinente… poderia ser um caso de estupro.

Garota ‘se liberta’ e tira aliança no meio do bloco

Comentário pertinente que fizeram:

“quem se liberto foi o cara,olha que canhão mano! kkkk” (ceh003)

Como funciona a Twitter API

Se você tem um site, e gostaria de integrá-lo ao Twitter, é necessário que você conheça bem a Twitter API. É através dela que você consegue integrar os dados e aumentar o tráfego.

Basicamente, ao integrar o Twitter ao seu site, é possível aumentar o grau de interatividade com o usuário visitante. Isso porque, ao autorizar o site a usar os dados pessoais vindos do Twitter, o site passa a postar como se fosse o próprio usuário. Por exemplo, se você tem um site de fotos, e o usuário acabou de postar uma foto, ele automaticamente irá postar em seu Twitter sobre a foto postada. Sem nem entrar no Twitter.

Essa questão de autorização, de postar sem acessar o Twitter, é uma ferramenta poderosa. Ao mesmo tempo em que temos uma propaganda, uma divulgação espontânea no Twitter, temos a fidelização do usuário, que gosta de expor sua atividade em seu próprio Twitter. É uma troca vantajosa para ambos. No caso da foto, o usuário diz para todos os seus seguidores que acabou de postar… e o site recebe uma quantidade variável de acessos oriundos desse usuário.

Já imaginou alguém com mais de 1 milhão de seguidores utilizando seu site integrado com o Twitter? Em um tweet, 1 milhão de cliques?

Para que seu site se comunique com o Twitter, o usuário deve autorizar essa comunicação. Isso é feito sempre da mesma forma: o usuário clica em algum lugar do site, o qual solicita permissão para postar usando a conta do Twitter. Esse clique leva o usuário à uma página do Twitter, onde temos o nosso site cadastrado. Nessa página, estão definidas todas as formas de acesso às informações pessoais da conta do Twitter. Se o site precisa de autorização para postar em nome do usuário, isso está explícito na página. Se o site precisa de acesso postar uma nova foto no Twitter, isso também é informado ao usuário. E por aí vai… são exibidas, nessa página, todas as ações que o usuário autorizará que o Twitter faça. E se ele aceitar, pronto. Esse “nível”de autorização é salvo no próprio Twitter, e o usuário é redirecionado de volta para o site.

Esse fluxo de pergunta se pode, o que pode, etc, tem toda uma lógica em nível de sistema, de programação. Tudo é feito através da chamada Twitter API, que é uma API, ou linguagem, ou protocolo, através do qual é possível ter acesso às informações vindas do Twitter.

https://dev.twitter.com/docs

Não é fácil integrar seu site ao Twitter. É necessário que você conheça bem uma linguagem de programação, e entenda como funciona a API. Na documentação da API, existe uma infinidade de exemplos, demonstrando passo-a-passo o que é necessário para que a conexão entre usuário e Twitter se estabeleça.

Existem várias “classes” disponíveis, em diversas linguagens de programação, que fazem a parte complicada dessa autenticação do usuário via API. Noções de tokens, OAuth, requisições POST, GET, passagens de parâmetros, sessões, etc, são o báisco para que o fluxo da autenticação funcione.

Um site que explora a Twitter API é o Twigrupos.com. Nesse site, é possível mudar a foto do perfil do usuário, colando nela um “adesivo”. Por exemplo, o adesivo pode ser um símbolo do Corinthians. E tal símbolo remete à uma campanha. Então, ao colar o símbolo em sua foto, o usuário concorda em fazer parte de tal campanha.

Perceba que, nesse exemplo, toda uma série de autorizações é necessária até que a imagem do perfil mude. O usuário, ao entrar no site, tem que autorizá-lo a mudar sua foto. Isso é feito através da requisição POST account/update_profile_background_image. Cola-se, nessa requisição, o símbolo do Corinthians sobre a foto do perfil, e a foto é atualizada no Twitter.

Qual a idéia por trás de uma campanha? Ao criar uma campanha, alguém está dando início a uma “causa”. E ao divulgar essa sua causa, com o tal do símbolo que identifique essa causa, espera-se que muitas pessoas participem. Espera-se que muitos usuários do Twitter participem.

É nessa que entra a requisição POST friendships/create. Toda vez que alguém aderir à essa causa, automaticamente tal pessoa irá seguir a criadora da campanha. Uma friendship (amizade) é criada na base de dados do Twitter. Não é necessário que o usuário vá até o Twitter do criador da campanha, e comece a seguí-lo. Isso é feito automaticamente, com um clique.

Repare que temos, nesse único clique, uma série de ações em andamento. Cria-se uma friendship, altera-se o profile_image, e pra finalizar, o usuário ainda posta um Tweet como “Acabei de participar da campanha do Corinthians, participe você também em www….”. É ou não é uma boa forma de divulgação e fidelização?

Que tal uma campanha com 100.000 membros, por exemplo? Tem-se um perfil com 100.000 seguidores, rapidamente. Uma base confiável de usuários/seguidores, e que pode ser trabalhada de diversas formas.

Experimente criar uma campanha e veja a quantidade de usuários que pode aparecer, do nada, em seu Twitter.

http://twigrupos.com

Hoje em dia, a Twitter API é utilizada não apenas em sites. Além das redes sociais, é possível ver a Twitter API em jogos também. Principalmente jogos da plataforma Android e iOs. Isso porque a divulgação é viral. Por exemplo, um record em algum jogo é automaticamente postado no Twitter. Com certeza, isso irá resultar em alguns milhares de novos downloads. Que irão gerar novos records, e novos milhares de downloads… tudo graças ao Twitter.

Se você quiser integrar o Twitter ao seu site e quiser tirar proveito dessa forma massificada de interação, entre em contato conosco. Temos soluções em PHP e java, bem como em aplicativos móveis (no momento, somente iOs).

O site http://www.twigrupos.com está à venda. também. Entre em contato para saber mais a respeito.