Archive for August, 2012

Como descobrir quem anda te ligando (número estranho de telefone)

Posted in Uncategorized on August 30th, 2012 by Administrador – 1 Comment

Vez ou outra alguém liga no celular, ou no telefone residencial, e não fala nada. Fica mudo. Ou então, ligam falando sobre coisas que nada tem a ver com a gente, como cadastro, pesquisas, solicitando informações, etc.

Em alguns casos, não temos acesso ao número de telefone. O Bina, o identificador de chamadas não pega. Em outros casos, não temos como saber de quem é o telefone, pois o 102 não informa. E pra piorar, pode acontecer de não encontrarmos nada no Google.

É nessas horas que entra em ação o poder das redes sociais. Existem vários sites, que coletam informações de certos números de telefone estranhos, que ligam para várias pessoas. Tais informações, em conjunto, acabam ajudando a formar uma opinião a respeito do número. E em muitos casos, podemos bloquear a ligação, ignorar, reclamar… ou tomar providências mais drásticas, como ir atrás dos responsáveis.

Trotes, falsas comunicações de sequestro, venda de produtos, ofertas… não dá pra confiar em quem liga pra gente. Muito cuidado com o telefone.

O site mais interessante no momento para a averiguação de informações sobre números de telefone é o Número Estranho (http://www.numeroestranho.com). Lá é possível pesquisar por milhares de números de telefone que já foram pesquisados antes. É possível também colaborar postando informações pertinentes sobre telefones que andam nos ligando, e ajudar outras pessoas que, porventura, também recebam a mesma ligação.

A chave do sucesso do Número Estranho é que ele é integrado às redes sociais Facebook e Twitter. Quem tem conta em um desses dois sites pode fazer o login, seguro, utilizando seus dados, e postar informações no próprio site, sem necessidade de fazer cadastro. Ao fazer isso, o poder de disseminação da informação se multiplica, pois um post é publicado automaticamente nas redes, e mais pessoas ficam sabendo do caso.

Se alguém anda te ligando, e você não sabe quem é, ou gostaria de mais informações, experimente o Número Estranho!

http://www.numeroestranho.com

Dança erótica

Posted in Engraçado, Impressionante, Vídeos on August 24th, 2012 by Administrador – Be the first to comment

Como comprar uma bicicleta elétrica

Posted in Uncategorized on August 23rd, 2012 by Administrador – Be the first to comment

De uns tempos pra cá, mais e mais pessoas têm trocado seus meios habituais de condução – carro, moto, ônibus – por outras opções mais baratas de transporte. Ou vão de carona, ou vão a pé, ou vão de bicicleta.

Uma nova forma de transporte tem chamado a atenção. É a bicicleta elétrica. Não é uma bicicleta comum, pois é movida a envergia elétrica. Não é uma moto, pois não requer combustível derivado de carbono.

As novas bicicletas elétricas prometem ganhar cada vez mais o mercado. Por serem econômicas, não poluentes, e ecológicas, tais bicicletas têm de tudo para conquistar as pessoas. Baratas, limpas, fazem pouco barulho. São de fácil manutenção, e têm inúmeros modelos fabricados inclusive no Brasil.

Quem gosta de pedalar pode continuar pedalando. Quem gosta de pedalar mas é preguiçoso, pode pedalar e contar com o motorzinho nas subidas. Quem não gosta de pedalar, pode ficar sem pedalar. Com boa autonomia, velocidades máximas baixas (algo em torno de 50 km/h), e baixa burocracia em relação à documentação, as bicicletas elétricas têm tudo o que motos têm, sem dor de cabeça.

Se você quer comprar uma bicicleta elétrica, leve em consideração duas características principais, que não podem passar desapercebidas: autonomia e reposição de peças. A autonomia, por si só é auto-explicativa. Não se pode “abastecer” a bicicleta por aí. Não existem postos de energia. A menos que você saia pedindo pra dar uma carregadinha na tomada por aí, você pode ficar na mão, se a energia acabar.

Em relação à reposição das peças, o ideal é que você procure fabricantes de bicicletas elétricas nacionais. Importar uma bateria, daquela sua bicicleta elétrica chinesa dobrável, pode ser uma dor de cabeça sem precedentes. Comprar um pneu novo então… e o que dizer das correntes, correias, plugues, etc… como podem ser de padrões diferentes do Brasil, a coisa pode ficar complicada.

Quer uma bicicleta elétrica?

Tudo questão de protocolo

Posted in Uncategorized on August 23rd, 2012 by Administrador – Be the first to comment

Em situações onde é exigido um pouco mais de formalidade, diz-se que o ideal é seguir o tal do protocolo. Regrinhas, ou normas de conduta, aceitas de forma consensual, comumente inquestionáveis.

Cidadão vai em uma reunião de negócios, tratar de preços de produtos, etc e tal, com uma tradicional empresa do ramo. Negócio certo, oportunidade que não pode ser perdida, por exemplo. Vamos supor que seja uma peça de um produto, indispensável.

Evidentemente, não deve haver conflitos com tal empresa. Qualquer atrito, que acabe gorando o negócio, é carta fora do baralho. E é nesse contexto, em que certas coisas não precisam ser ditas, certas situações não precisam ser criadas, que percebe-se o tal do protocolo. Todos sabem o que não deve ser feito, o que não deve ser dito. Protocolo.

Quebrar o protocolo, hoje em dia, é tudo aquilo que foge à regra. São aquelas situações inesperadas, normalmente criadas de forma intencional, e que tentam ser engraçadas, ou que tentam quebrar o gelo, em situações mais formais. Por exemplo, no mesmo jantar de negócios, energúmeno possesso do demônio resolve citar a qualidade dos produtos do concorrente. E cita preços menores. E cria aquele clima constrangedor… ainda mais quando o produto da concorrência é melhor, e mais barato. E gera aquela atrito, desnecessário até então. Quebra de protocolo.

Por protocolo, pode-se entender também como sendo uma forma de comunicação, pré-definida, e que será padronizada tanto na emissão da mensagem, quanto na sua recepção. Algo como um idioma. São regras também, mas regras que não dizem respeito ao que é certo ou errado na mensagem transmitida. Refere-se apenas à confiabilidade na transmissão da mensagem. A mensagem deve chegar ao seu destino da mesma forma como foi enviada. Protocolo.

Malefícios da bebida

Posted in Engraçado, Vídeos on August 18th, 2012 by Administrador – Be the first to comment

Como o robô Curiosity chegou em Marte

Posted in Imagens, Impressionante, Natureza, Tecnologia, Uncategorized on August 18th, 2012 by Administrador – 1 Comment
Robô Curiosity

Robô Curiosity

A distância da Terra até Marte, o planeta vermelho, é algo em torno de 60 milhões de quilômetros. É uma distância razoável.

Só para se ter uma idéia, vamos fazer uma conta rápida: um carro, a 100 km/h, demoraria quanto tempo para chegar até Marte, estando Terra e Marte na menor distância? Ora, 60.000.000/100 = 600.000 horas. Que equivalem a 25.000 dias. Que equivalem a 68 anos.

Evidentemente, a melhor hora para se planejar uma viagem da Terra até Marte é quando a distância é a menor possível. E foi em 26 de novembro de 2011, de Cabo Canaveral (sim, o mesmo do desenho do Pica Pau), que partiu o robô Curiosity (Curiosidade), rumo à cratera de Gale. Como parte do experimento MSL (Mars Science Laboratory), o robô movido a plutônio teve uma longa viagem pela frente.

Curiosity

Curiosity

Imagine a seguinte situação: você compra um carrinho de controle remoto, e coloca uma câmera digital nele. Coloque também um netbook, um GPS, um celular. Junte tudo, e coloque numa caixa. Se quiser, enfie um Armatron e um Alquimia. Lacre bem.

Armatron

Armatron

Alquimia

Alquimia

Tente mandar essa caixa em um foguete para Marte. Como o robô chegou no dia 6 de agosto de 2012, a viagem até que foi rápida. Muito antes dos 68 anos esperados, caso estivéssemos a 100 km/h. A duração da viagem foi de apenas 8 meses e 10 dias, o que significa que a velocidade média do foguete foi de 10.000 km/h. Tente mandar sua caixa, nessa velocidade, até Marte.

Se você está considerando essa tarefa complicada, que tal começar a se preocupar com a aterrissagem da caixa no planeta vermelho? E o pior: como fazer o Armatron, o Alquimia, o Netbook e o GPS funcionarem juntos, enviando imagens para a Terra? São 60.000.000 de quilômetros, não se esqueça…

Realmente, o que os Estados Unidos, e um conglomerado de outros países fizeram, é algo fantástico. São centenas, talvez milhares de áreas do conhecimento envolvidas, para que o robô Curiosity pudesse chegar funcionando em Marte. Ao custo de 2,6 bilhões de dólares, a aterrissagem com sucesso, em uma cratera de 154 km de diâmetro, é algo absurdo.

Matematicamente falando, é como se você desse uma tacada de golfe, certeira, a uma distância de 1.500.000 km!

A principal missão do robô Curiosity em Marte é descobrir se o planeta vermelho teve vida algum dia. Isso será feito através de uma série de experimentos, compreendendo, principalmente, as seguintes linhas de estudo:

– analisar a composição do solo;
– procurar sinais, vestígios de vida;
– ver como as rochas foram decompostas;
– estudar a presença de dióxido de carbono (molécula indicadora de vida);

entre outros experimentos complexos.

Voltemos à caixa lacrada. Como o Curiosity pesa em torno de 900 kg, multiplique por 10 o peso de sua caixa lacrada. Quase to tamanho de um Fusca, considere a possibilidade de mandar uma Gaiola, equipada com algumas câmeras, e dois computadores obsoletos em 4 anos. Sim, porque somando o tempo da viagem, e a escolha dos equipamentos a serem enviados com o Curiosity, lá se foram 4 anos. Quatro anos de obsolescência.

Fazer uma Gaiola pousar não é tarefa fácil. Um simples pára-quedas não seria suficiente. Algo mais complexo, que resguardasse a integridade da Gaiola, seria fundamental. E é aí que entra um tal de escudo protetor, na base da cápsula, evitando o calor excessivo durante a entrada na órbita do planeta.

Para auxiliar na descida, a Gaiola precisaria também de foguetes propulsores, que literalmente empurrassem para cima, contra-balanceando a queda. Tais foguetes estavam presentes de várias formas.

Tão impressionante quanto a queda com o pára-quedas foi a queda/descida com os foguetes. Estabilizar uma Gaiola sem asas, apenas com foguetes, e fazer com que a descida fosse a mais suave possível, exigiu uma enormidade de cálculos, fórmulas, modelos matemáticos definitivamente inimagináveis para a maioria das pessoas.

As primeiras imagens enviadas pelo robô Curiosity foram feitas pelas câmeras de 2 MP. A resolução é baixa, se comparada às câmeras vendidas no mercado. Mas isso se deve à dificuldade de se transferir os dados. A transmissão é feita através de ondas UHF. Isso impede que a quantidade de dados seja muito grande. Algo em torno de 40 MB no máximo, por dia.

Imagens de Marte

Imagens de Marte

Ao longo dos próximos dias, novos experimentos serão colocados em prática, e novas informações, cada vez mais relevantes, serão disponibilizadas pela NASA.

Você sabe o que é o Fator de Sustentabilidade Evolutiva?

Posted in Uncategorized on August 9th, 2012 by Administrador – Be the first to comment

Se não sabe, deveria saber. Seus filhos podem depender dele.

http://www.creativesandbox.com.br/ideia/287050/Fator_de_Sustentabilidade_Evolutiva