Archive for September, 2012

Comer insetos é para os fracos.

Posted in Impressionante on September 24th, 2012 by Administrador – Be the first to comment

Na China, é comum as pessoas comerem insetos. Você encontra espetinhos de gafanhoto, espetinhos de grilos, etc etc. Isso pode soar um pouco estranho para os ocidentais, onde um bife mal passado já é motivo de discórdia.

No entanto, em outros países não muito distantes, as pessoas comem coisas um pouco mais frescas. No Vietnã, por exemplo, é possível experimentar o coração de cobra. E o coração ainda bate.

Se você o coração pequeno, pode tentar algo um pouco maior. Coração de sapo.

Se você não se impressionou com a refeição, arrisque comer um polvo fresco então.

Ou então, o bicho ainda vivo.

Guia prático para uma refeição proveitosa na churrascaria

Posted in Uncategorized on September 20th, 2012 by Administrador – Be the first to comment

Então você resolveu comer na churrascaria, e foi com muita fome. Entrou decidido a ranger os dentes. Salada? Besteira. Arroz branco? Só ocupa espaço. Pão de alho? Já comeu pão de manhã…

Para se comer bem em uma churrascaria, é tudo questão de técnica. Você deve estar preparado para comportar a maior quantidade de carne nobre possível, as mais variadas possíveis.

Beba pouco. Para algumas pessoas, é inevitável pedir cerveja ou refrigerante. Mas se você foi para comer carne, vá pensando em comer carne. Faça o mesmo que estudantes universitários pobres fazem quando vão em churrascaria: se der sede, não gaste com bebida. Vá até o banheiro e beba um gole de água da torneira, só pra matar a sede.

Minha sequência de carnes é sempre a mesma. Normalmente os garçons tentam entupir os clientes de linguiça, ou de carnes que cortam pedaços grandes, como cupim ou alcatra. Evite esse tipo de carne no começo. Comece devagar, pelas carnes mais nobres, como picanha, filé mignon. Saboreie as carnes principais, sem pressa. Aproveite para enfeitar o prato com algum acompanhamento, como maionese, ovos de codorna, alguma saladinha.

No meio do churrasco, quando a tampa estiver quase cheia, arrisque carnes mais salgadas um pouco. Com carnes mais salgadas, mais condimentadas, você será obrigado a comer um pouco mais, aumentando o ritmo. A ingestão de líquidos também irá aumentar. A sensação de saciedade irá aparecer, mas a bebida te dará ânimo para os rounds finais. Eu costumo, nessa etapa, pedir carnes como costela, carneiro, uma picanha com alho, mais condimentada.

No final, quando não couber mais nada, é que o bagre sai da toca. Você pode tentar beliscar um pão de alho, que cai bem. Pode tentar uns pedaços de queijo quente, que é bem pesado, e que não é bom comer no começo. Pode tentar finalizar com as picanhas, que os garçons esconderam o tempo todo.

Em relação à picanha, recomendo ficar atento nos garçons. Alternar as carnes com picanha é interessante, pois a picanha, na minha opinião, é a carne mais saborosa, e são pedaços (fatias) pequenas, finas, que merecem atenção. Sentar em lugares estratégicos na churrascaria é importante. Quanto mais perto de onde os garçons brotam, melhor.

Evito o quanto posso as linguiças e frangos. Linguiças, pois saciam rápido demais, e vêm em pedaços grandes. E frango, pois é uma carne mais barata, que não compensa no rodízio. A menos que o frango esteja muito bem preparado, temperado.

O que é um moto contínuo, ou máquina de movimento perpétuo

Posted in Natureza on September 20th, 2012 by Administrador – Be the first to comment

Moto contínuo, ou máquina de movimento perpétuo, é um mecanismo hipotético, improvável de se construir, que funciona com a própria energia que produz.

Tal máquina atualmente é considera hipotética pois, de acordo com as leis da física, não poderia ser construído. Qualquer modelo, ou ptotótipo de máquina que tente ser perpétuo, irá violar alguma das leis da termodinâmica.

Muitas pessoas ao longo dos séculos vêm tentando construir um moto contínuo. Quem nunca pegou alguns ímãs, e achou que poderia fazer um pêndulo “eterno”? Ou então imaginou que a água de um rio, ou cachoeira, poderia ser transportado novamente para o início do rio (ou cachoeira), gerando eletricidade?

Fato é os moto contínuos mais próximos do movimento perpétuo esbarram em alguma lei da física. Ou então, recebem energia externa.

Um moto contínuo é igual à promessas de políticos em época de eleição. Ao longo dos séculos, muito se irá ouvir sobre propostas mirabolantes de governo. No entanto, nunca, de acordo com as leis do homem, as promessas serão cumpridas. É algo improvável, mas que se repete a cada 4 anos.

O que são os robôs

Posted in Uncategorized on September 7th, 2012 by Administrador – Be the first to comment

Ainda que de forma romântica, surreal, a maioria das pessoas pressupõe que um robô é uma máquina, geralmente com o formato de um ser humano, e que executa tarefas como se fosse um ser humano de verdade. Algo como aqueles robôs japoneses que aparecem na TV de vez em quando.

Na verdade, um robô é um conceito amplo, e que remete a algo automatizado, programado. Não necessariamente um robô é uma máquina, com peças, engrenagens. Um robô, por exemplo, pode ser apenas um computador, ou um programa de computador. Ao “gênero robô”, podemos incluir máquinas industriais comuns, por exemplo.

Aprofundando um pouco mais o assunto, um robô, na sua versão mais clássica, seria algo capaz de realizar tarefas, de forma correta, sob ordens humanas ou não. Mais ainda, um robô poderia aprender, discernir a melhor forma para realizar suas tarefas.

Dessa forma, recaímos em estudos feitos há mais de 50 anos. Tais estudos abrangem áreas do conhecimento, mais especificamente da computação, e que se prezam a tentar explicar, de forma teórica, como o conhecimento é adquirido e utilizado. Entram aí o estudo dos autômatos, fundamentos de inteligência artificial. Algo um pouco mais complexo que a simples mecânica, a simples criação das máquinas físicas, engrenagens.

Um robô, portanto, é algo extremamente complexo. Um carrinho de controle remoto, por exemplo, é um robô simples. E toda a eletrônica por trás do aparelhinho não é coisa simples.

Existem atualmente duas correntes de pensamento em relação aos robôs. Uma diz respeito aos robôs operados por humanos, que realizam tarefas até de forma humanóide. São os robôs desbravadores de minas, os robôs que fazem cirurgia, or robôs que vão até Marte.

Outro tipo de robô são os robôs inteligentes. Estes aprendem, e com seu aprendizado, evoluem. Sua evolução é algo não muito previsível, e é objeto de estudo. Tenta-se ensinar tais robôs, “alimentando-os” com informações, por exemplo. Tais robôs, normalmente, envolvem áreas obscuras e nefastas da computação e da matemática, intangíveis para os meros mortais.