Como Pode?

Icon

Você já se fez essa pergunta hoje?

Como trabalhar no Japão

Se você está procurando um emprego que pague melhor, que tal ir trabalhar no Japão?

Trabalhar no Japão, ou virar um dekassegui, ainda hoje é uma alternativa para os descendentes de japoneses. Com bons salários, são milhares de brasileiros que se arriscaram na Terra do Sol Nascente. Há quase 30 anos, mandando um volume considerável de dinheiro para os parentes que aqui ficaram, os dekasseguis são prova de que é possível ganhar bem fora do país.

No Japão, os empregos normalmente são nas fábricas. É o que se pode chamar de empregos “menores”, que os próprios japoneses não fazem muita questão. É o trabalho braçal, ou o trabalho repetitivo. Chão de fábrica mesmo. Mulheres também têm os chamados empregos em fábricas de alimentos (bentôs), que são mais lights.

Tais empregos costumam render bem pois oferecem as chamadas horas-extras. Horas-extras são o desejo dos dekasseguis, pois aumentam consideravelmente o salário.

Uma das formas de se ir trabalhar no Japão é procurando uma agência especializada em empregos no Japão. Existem muitas empresas no Brasil, principalmente na região de São Paulo e Paraná (maiores concentrações de descendentes). Você pode encontrar uma lista das melhores agências no site http://www.empregosnojapao.com

Quando se procura uma agência de emprego, fica mais fácil para ser alocado no Japão. Normalmente as agências têm bons contatos com as fábricas, o que já garante a alocação. É só viajar, com a certeza de emprego certo.

Tentar encontrar emprego no Japão por conta própria não é muito recomendado. A menos que você conheça alguém que já trabalhe por lá, ou que você saiba os atalhos para ser bem recebido numa fábrica, não é recomendado ir atrás dessa forma.

Falar o idioma japonês fluentemente nem sempre é necessário. Alguns empregos requerem uma certa porcentagem de fluência na língua. Em fábricas que têm muitos brasileiros, ou que um supervisor seja um brasileiro, você pode até trabalhar falando só o básico mesmo.

Uma das perguntas mais frequentes é sobre ser brasileiro, não ser descendente de japonês, e conseguir um emprego no Japão. Hoje em dia, é muito complicado conseguir ir pra lá sem ser descendente. Em outras épocas, o que se fazia era o seguinte: um homem brasileiro se casava com uma descendente de japoneses, por exemplo. Ambos poderiam ir para o Japão trabalhar, mesmo que o casamento fosse “de mentira”, “arrumado”. O brasileiro, no caso, pagava uma “mensalidade” à moça descendente de japoneses. Ela poderia voltar para o Brasil, por exemplo, e deixar o brasileiro lá.

O inverso também era comum. Mulheres brasileiras se casavam com homens descendentes… e faziam o “esquema”.

Muitas pessoas, que intermediavam esses “esquemas” de casamento, ganharam muito dinheiro. Mas como toda boa maracutaia, a casa caiu. Hoje em dia o casamento deve ser muito bem documentado, com história de vida, por exemplo, que comprove que o casamento é de verdade. Está mais difícil dar uma de esperto.

Se você está procurando um japonês ou uma japonesa para “casar” e ir para o Japão, saiba que ainda existem muitos dispostos a isso. É dinheiro fácil, pois a “mensalidade” deve ser paga direitinho… senão, com alguns poucos telefonemas, é fácil denunciar o esquema e tudo se complicar.

Pra você que é descendente de japonês (filhos e netos), ou que se casou de fato com descendentes, que tal ir para o Japão? Os salários estão altos (R$ 6.000,00 pra cima), o país é civilizado, a comunidade brasileira é grande, a assistência social é gratuita e funciona.

Category: Oportunidades

Tagged:

One Response

  1. Pann says:

    Serio isso que é mais difícil quando não se é descendente nem casado? D:
    Eu tenho pesquisado muito sobre esse assunto e não sei ainda como, mas pretendo fazer um Arubaito. Não sou descendente nem casada com japonês, mas, eu realmente desejo ir para lá. =D

Leave a Reply