Como Pode?

Icon

Você já se fez essa pergunta hoje?

Lei de Gerson no Brasil

Gerson foi um meia-armador da Seleção Brasileira de Futebol, campeã da Copa do Mundo de 1970. Mais recentemente, Gerson tem aparecido em programas de futebol como comentarista esportivo.

Em 1976, foi veiculada na TV uma propaganda dos cigarros Vila Rica. Tal propaganda teve como protagonista o então jogador Gerson, e por uma infeliz produção, ou por uma infeliz interpretação da mensagem, foi criada a expressão “Lei de Gerson”.

A mensagem que ficou gravada na cabeça das pessoas foi a seguinte:

“Por que pagar mais caro se o Vila me dá tudo aquilo que eu quero de um bom cigarro? Gosto de levar vantagem em tudo, certo? Leve vantagem você também, leve Vila Rica!”.

Em especial, a questão de se “levar vantagem em tudo” foi a que criou polêmica. Ao longo dos anos, tal expressão foi pegando um tom pejorativo, dando a entender que “levar vantagem em tudo” é coisa de malandro, é algo imoral, anti-ético. Remete-se, nos dias de hoje, à corrupção, ao engodo, à falta de consideração com o próximo. É a tal idéia de se passar os outros para trás, custe o que custar.

Tempos depois da veiculação da propaganda, tentou-se corrigir a mensagem num outro comercial, mas o estrago já estava feito. Associou-se no imaginário popular a idéia de que, quando alguém faz algo sem escrúpulos, está se fazendo algo de acordo com a Lei de Gerson… e o Gerson se fodeu.

Percebe-se que, no final das contas, quem se deu mal com isso tudo foi tão somente o ex-jogador. E a culpa nem é dele. Mas… afinal, de quem é a culpa?

Para que a Lei de Gerson pudesse ser enquadrada, era necessário um contexto, um cenário que fosse parecido com o que foi proposto pela propaganda. Esse cenário, o de se levar vantagem em tudo, existia na época? No Brasil, naquela época, existiam pessoas que levavam vantagem em tudo? Dava pra imaginar alguém seguindo o que Gerson “propunha”?

A resposta, provavelmente, é sim. Isso porque algumas pessoas, ou grupos de pessoas, enquadravam-se nesse estereótipo. E para o azar do meia-armador, ele acabou se tornando um mártir, um expoente desses salafrários, ao chamar para si a “qualidade” de gostar de levar vantagem. Se Gerson disse, está dito, procede.

Nos dias de hoje, são muitos os casos onde a Lei de Gerson se expressa. Basta lembrarmos de episódios comuns de nosso dia-a-dia. Por exemplo, as pessoas furam fila, ou subornam autoridades, ou armam esquemas de corrupção, ou relacionam-se por interesse… tudo com o único objetivo de levar vantagem, de não sair no prejuízo.

Qual a razão desse comportamento, arraigado em todas as classes sociais? Por que alguém vai te passar a perna um dia, sem você ter feito nada contra ela? Por que motivo você vai parar, olhar, pensar, refletir… olhar pra ver se ninguém está vendo, e vai cuspir no prato que comeu?

Muitos irão dizer que isso é da pessoa, que isso vem de família, da educação que teve em casa. Outros irão dizer que se trata de uma expressão do sistema, capitalista, em que vivemos hoje em dia. Muitos irão dizer que tais pessoas são minoria, que tais pessoas terão o que merecem, etc.

Na verdade, não sei dizer por que isso acontece. E estou com sono, e cansei de escrever.

Category: Uncategorized

Tagged:

Leave a Reply