Como Pode?

Icon

Você já se fez essa pergunta hoje?

Todos os golpes de uma luta de MMA

Se você não está acostumado a assistir uma luta de MMA, ou Mixed Martial Arts, ou Vale-Tudo, pode parecer estranha a dinâmica desse tipo de luta. Quem não assiste, pode achar que dar socos da cara, ou chutes na cara, seria suficiente para nocautear o adversário. No entanto, não é bem assim.

Uma luta de Vale-Tudo, hoje, pode ser finalizada de várias formas. Ao contrário do que acontecia há 10 ou 15 anos atrás, nocautes com diretos de direita, ou chutes violentos, ou chaves de perna, por exemplo, hoje podem não surtir tanto efeito. Pensa errado quem pensa que pode subir no ringue, ou no octógono, armado somente de uma arte marcial. Quem faz isso hoje leva porrada.

O nocaute, ou finalização, hoje é algo muito técnico. Tem-se hoje uma certa maturidade, como acontece na nobre arte – o boxe. Para se finalizar um lutador, excetuando-se os casos de sorte, onde golpes certeiros acertam mesmo, é preciso magoar o adversário, estudá-lo, anular sua técnica, etc.

Foi-se o tempo em que alguém ganha uma luta sabendo apenas uma arte marcial. Esqueça os filmes de Bruce Lee, Van Damme ou Chuck Norris. Fatalmente, tais ícones das artes marciais seriam finalizados por lutadores bem preparados dos dias de hoje.

Basicamente, um lutador de MMA nos dias de hoje deve saber lutar em pé e lutar no chão. Para a luta em pé, temos diversas artes marcias que oferecem excelentes recursos para a chamada “trocação”.

Entre elas, temos o Boxe, com os socos, esquivas e clinches. Hoje o Boxe tem certo destaque, pois excelentes lutadores boxeadores tem mostrado resultados primorosos. Podemos citar Junior Cigano e Fabio Maldonado, entre os brasileiros.

O Muai Thai, imortalizado pelo lutador Sagat, permite a intimadação na forma de chutes extremamente violentos. Joelhadas desconcertantes, onde a cabeça é projetada para baixo com as mãos na nuca do adversário, também se mostram muito utilizadas.

O Karate, hoje em dia, mostra-se extremamente eficaz para se evitar apanhar, bem como contra-atacar. O maior exemplo disso é o ex-campeão Lyoto Machida. Em suas lutas, percebe-se um reflexo apurado, evitando-se levar golpes desnecessários. Golpes extremamente potentes, tanto na forma de socos como chutes, também intimidam cada vez mais os adversários.

Já na parte da luta de chão, temos destaque para três modalidades: o Jiu-Jitsu, o Judô e a Luta Olímpica.

O Jiu Jitsu ganhou fama no mundo do MMA graças à família Gracie. Nos tempos de outros campeonatos importantes, como o Pride, no Japão, os Gracies faziam o que queriam contra os adversários. Independentemente do tamanho, ou da arte marcial dos oponentes, os Gracie fizeram história, e projetaram o MMA no esporte que é hoje.

O Judô é também muito utilizado hoje em dia. Com suas quedas e imobilizações, judocas mostraram o quanto é importante se trabalhar a luta mais amarrada no chão. Diferentemente do Jiu Jitsu, onde o foco está mais na busca de imobilizações, o Judô permite um melhor posicionamento no chão para eventuais finalizações.

Da mesma forma que o Judô, a Luta Olímpica tem seu foco no posicionamento e submissão do adversário, de forma que se possa trabalhar nele de forma mais contundente no chão. A Luta Olímpica é dominada pelos americanos, e seus golpes e quedas focam bastante na cintura dos oponentes.

Conhecer pelo menos duas dessas lutas é fundamental. Ter o conhecimento da luta em pé permite o chamado nocaute, ou golpe certeiro que deixe o adversário inconsciente, ou incapaz de continuar a luta. Lutas em pé que terminam com nocaute são muito emocionantes, pois trazem consigo a essência da violência velada do esporte.

As lutas no chão visam quase sempre a imobilização e a “montada”. Na imobilização, o adversário tem o pescoço travado, ou um braço esticado, ou uma perna/tornozelo/pé forçado. Chega-se no ponto de quebrar um osso ou articulação.

As montadas visam o chamado “Ground and Pound”. Sentado sobre a barriga do adversário, este fica em desvantagem para se proteger, e apanha demais no rosto.

Tanto na luta em pé quanto na luta no chão é preciso conhecer o adversário. Saber quais são seus pontos fortes e fracos é hoje tão importante quanto o treinamento físico em si. Aliás, treinar para uma luta é treinar para vencer aquele adversário. Portanto, utilizar-se de todas as ferramentas possíveis de estudo é fundamental.

A cada dia, certos golpes novos são utilizados. Outros golpes, ditos ultrapassados, também são reinventados. Dessa forma, cada vez o esporte amadurece, e os atletas buscam adequar-se à preparação do adversário. O maior exemplo disso hoje é Jon Jones, que chegou a recusar lutas por não ter tempo hábil para a preparação.

Category: Uncategorized

Tagged:

Leave a Reply